Oportunidade de trabalho

Sinop lança seletivo para saúde com 89 vagas; confira salários e vagas

Publicados

em

Internet

A Prefeitura de Sinop lançou na terça-feira (28), o edital do processo seletivo simplificado de n° 001/2020para a contratação de 89 profissionais da área da saúde. Osa salários variam de R$ 2.455,26 a R$ 11.352,94, 03 e as inscrições ficam abertas até segunda-feira (3).

A contratação é temporária, pelo período de 6 meses, podendo ser prorrogada por uma única vez com o mesmo prazo. As inscrições devem ser realizadas pelo site da Prefeitura de Sinop (www.sinop.mt.gov.br). Todos os candidatos classificados serão considerados Cadastro de Reserva e poderão ser nomeados conforme o prazo de validade do certame, para suprir as referidas vagas, caso haja a necessidade de substituir os contratados por conta de dispensa, desistência ou por necessidade da própria Secretaria Municipal de Saúde.

Confira as vagas e salários

Agente de serviços de saúde

Vagas: 20

Carga horária: 40 horas semanais

Salário: R$ 1.549

Assistente social

Vagas: 2

Carga horária: 30 horas semanais

Salário: R$ 6.393,60

Enfermeiro

Vagas: 19

Carga horária: 40 horas semanais

Leia Também:  Miss Mato Grosso denuncia perseguição e abuso sexual

Salário: R$ 6.393,60

Médico

Vagas: 8

Carga horária: 40 horas semanais

Salário: R$ 11.352,94

Médico

Vagas: 3

Carga horária: 30 horas semanais

Salário: R$ 8.514,71

Psicólgo

Vagas: 2

Carga horária: 40 horas semanais

Salário: R$ 6.393

Técnico de enfermagem

Vagas: 35

Carga horária: 40 horas semanais

Salário: R$ 2.455,26

Fonte: Sindimed

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

CIDADES

Mirassol D’oeste: Justiça determina implantação de sistema de esgotamento sanitário

Publicados

em

Foto> MP-MT

O Município de Mirassol D’Oeste e o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saemi) da cidade foram condenados a implementar o sistema de esgotamento sanitário conforme disposto na Constituição Federal e na Lei Federal n.º 11.445/2007, que estabelece as diretrizes nacionais para o saneamento básico. A sentença determina medidas e prazos, a contarem a partir de março de 2017, data da aprovação legislativa do Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB). A decisão confirma a liminar anteriormente proferida na Ação Civil Pública (ACP) proposta pela 1ª Promotoria de Justiça Cível de Mirassol D’Oeste.

Conforme a sentença, os requeridos deverão implantar rede coletora e de tratamento de esgotamento sanitário em 75% da demanda local; sistema individual de tratamento de esgoto nas áreas rurais (com aproveitamento de biogás) e nas escolas Madre Cristina e Zumbi dos Palmares; e rede de esgotamento sanitário da Cohab do Distrito de Sonho Azul. Os condenados terão a obrigação de fazer o levantamento cadastral e implantar biodigestores na área rural, bem como normatizar projetos para solução individual na área rural. O prazo para todas essas medidas é de quatro anos.

Leia Também:  Leverger realiza barreira sanitária como medida de combate ao Covid-19

O Município e o Saemi foram condenados ainda a promover a universalização completa dos serviços no prazo de oito anos, além da manutenção e reforma de todo o sistema de esgotamento sanitário existente (elevatórias, rede coletora e lagoa de tratamento) na área urbana, no prazo de um ano a contar do proferimento da sentença. Além disso, terão que desenvolver, imediatamente, ações educativas e de fiscalização conforme prevê o PMSB.

A decisão é da 1ª Vara de Mirassol D’Oeste, que julgou parcialmente procedentes os pedidos feitos pelo Ministério Público de Mato Grosso (MPMT) na ACP. De acordo com a inicial, o Município de Mirassol D’Oeste estaria descumprindo com o seu dever de implementar sistema de descarte de esgoto adequado. Durante a instrução do inquérito civil, o MPMT apurou que na cidade era realizada a coleta de aproximadamente 32% do esgoto, sendo apenas 25% devidamente tratados.

Segundo o promotor de Justiça Saulo Pires de Andrade Martins, verificou-se no decorrer das investigações que “tanto o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saemi), quanto o Município de Mirassol D’Oeste deixaram de apresentar propostas concretas para a implantação integral de rede de esgoto e rede coletora nesta municipalidade, não obstante a existência do Plano Municipal a direcionar as ações”. Ele defendeu a necessidade de ajuizamento da ação diante da inércia dos requeridos, que “sequer indicaram medidas emergenciais tomadas para sanar os problemas concretamente denunciados ao longo da instrução do feito”.

Leia Também:  Prefeitura de Rosário Oeste entregou cestas básicas para famílias carentes prejudicadas pelo covid-19

Fonte: MP-MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA