Cidades

TCE-MT investiga licitação de mais de 2,3 milhões em Sinop-MT

Publicados

em

Após representação externa junto ao TCE-MT em que consta a denúncia de irregularidades em processo licitatório realizado pela Prefeitura de Sinop em que se pretende contratar mão de obra terceirizada, o conselheiro Luiz Carlos Pereira que há realmente indícios de irregularidade  e por precaução determina que a prefeita de Sinop, Rosana Martinelli se manifeste no prazo de 3 (três) dias a respeito do que foi apontado como irregular.

A prefeitura de Sinop, mesmo estando ciente de que é vedada a participação de cooperativa de mão de obra em licitações publicas em que se pretende terceirizar mão de obra em que haja subordinação, e mesmo tendo sido alertada de tal proibição através de impugnação protocolada por uma das concorrentes, ainda assim não alterou o edital proibindo a participação de cooperativas, e no certame licitatório credenciou a coopserv’s, e como se não bastasse todos os erros já cometidos, ao final declarou a coopserv’s como vencedora de praticamente todos os lotes do processo licitatório.

Vale dizer que o próprio TCE-MT já mandou paralisar licitação de mão de obra realizada pela prefeitura de Sinop pelo mesmo motivo e agora, a participação de cooperativas de mão de obra, o fato é que insistem na ilegalidade, colocando em risco o erário público que deverá responder por qualquer demanda trabalhista que porventura ocorra decorrente de contrato com cooperativa de mão de obra, já que no caso de cooperativa não existe subordinação entre os cooperados, é uma espécie de situação em que todos os cooperados estão em igualdade de condições, não existindo chefes nem subordinados.

Leia Também:  PM intensifica trabalho de dispersão em vários bairros da capital

Decisão do TCE-MT determinando a prefeitura de Lucas do Rio Verde a suspensão de processo licitatório e contrato com cooperativa de mão de obra.

Não é de hoje que diversas prefeituras do estado de Mato Grosso insistem no erro em contratar cooperativa, inclusive este portal já denunciou vários casos.

Jurisprudência do TCE-MT datada de 2013, mostrando que já é do conhecimento de todas as prefeituras de tal proibição  

Também não é novidade que as cooperativas de mão de obra insistem em querer contratar com a administração pública, mesmo sabendo que não podem.

Resta saber o que existe por detrás de tanta insistência por parte das prefeituras do interior de Mato Grosso em contratar ilegalmente.

Segue decisão do TCE-MT a respeito da representação externa no atual pregão da prefeitura de Sinop-MT

da Redação

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

DENÚNCIAS

DENÚNCIA: Gaeco realiza operação “Afeto” em Primavera do Leste

Publicados

em

Gabinete do vereador foi alvo da operação — Foto: Câmara de Vereadores de Primavera do Leste

A Unidade Regional do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) de Rondonópolis deflagrou nesta segunda-feira (23), em Primavera do Leste, a operação “Afeto”. O trabalho conta com o apoio do Gaeco de Cuiabá e busca auxiliar investigação realizada pela 1ª Promotoria de Justiça Cível de Primavera do Leste. Foram cumpridos mandados de busca e apreensão na residência e no gabinete de um vereador do município, nas empresas Nova Service e Top Service, além da estação e almoxarifado onde são guardados os veículos e maquinários das empresas investigadas.

De acordo com o Gaeco, a investigação apura fraudes em licitação envolvendo empresas registradas em nome da esposa e do enteado do parlamentar investigado. Há indícios de que o vereador atue junto ao município promovendo o direcionamento de licitações, visando o favorecimento de familiares que supostamente operam como “laranjas”.

Entre os anos de 2016 a 2020, as duas empresas alvos da operação movimentaram mais de R$ 4 milhões de verbas públicas por meio de contratos celebrados com o município. Entre os serviços contratados, estão transportes escolares, locações de máquinas e caminhões, varrição, recolhimento de resíduos, obras de engenharia, calçamentos, entre outros.

Leia Também:  DESCOBERTA DE CORRUPÇÃO NO GOVERNO PT NÃO ACABA NUNCA: Lava Jato denuncia corrupção em contratos de navios firmados pela Petrobras

Segundo o Gaeco, o nome dado à operação realizada nesta segunda-feira é uma alusão aos laços de parentesco e amizade do vereador com as empresas supostamente favorecidas pela prefeitura.

A operação “Afeto” cumpriu mandados de busca e apreensão na residência e no gabinete do vereador Elton Baraldi (MDB), conhecido como Nhonho, em duas empresas, além da estação e almoxarifado onde são guardados os veículos e maquinários das empresas investigadas.

Fonte: MP-MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA