GERAL

Crimes contra a mulher aumentam em agosto no estado do Rio

Publicados

em


.

O número de homicídios dolosos (quando há a intenção de matar) caiu 20% no estado do Rio de Janeiro em agosto deste ano, na comparação com o mesmo período de 2019. Este foi o número mais baixo para o indicador no mês de agosto em toda a série histórica, iniciada em 1991 pelo Instituto de Segurança Pública (ISP).

Segundo dados divulgados nesta terça-feira (15) pelo ISP, foram registradas no mês passado 256 crimes de morte contra os 320 ocorridos no mesmo mês em 2019. Já os crimes contra a mulher, como estupro, lesão corporal dolosa e ameaça de espancamento aumentaram em agosto em relação ao mês anterior.

Os crimes tipificados pela Lei Maria da Penha caíram 30% em agosto. Apesar da queda dos registros das transgressões analisadas, aumentou a proporção de crimes mais graves ocorridos  em casa. No período estudado neste ano, 67,1% dos crimes de violência sexual (58,3% em 2019) e 66% dos de violência física (60,2% em 2019) foram cometidos dentro de casa.

Pandemia

Desde o início da pandemia de covid-19, com a convivência maior dos casais dentro de casa, o número de ligações para o Serviço 190 da Polícia Militar referentes a crimes contra a mulher aumentou 12,2%, na mesma comparação de datas.

Leia Também:  Polícia Civil faz operação para investigar lavagem de dinheiro em SP

No entanto, desde o fim de maio, o registro de vítimas mulheres vem aumentando. Em agosto passado, os números voltaram a se aproximar do patamar de 2019. Na última semana de agosto, contudo, os registros relacionados a violência sexual, psicológica e moral caíram notadamente na comparação com 2019.

Os feminicídios aumentaram 6,9%, em relação ao total de registros de julho. Já os crimes de lesão corporal dolosa e ameaça contra mulheres diminuíram 9,5% e 11%, respectivamente, na  comparação de agosto de 2019 para agosto deste no. Os estupros registraram aumento de 6,5% no mês passado comparado ao mesmo mês do ano anterior. Em paralelo com o mês de julho de 2020, houve aumento do número de vítimas para os três delitos: 3,4% a mais para lesão corporal dolosa, 13,4% para ameaça e 24,8% para as vítimas de estupro.

Os crimes violentos letais intencionais (homicídio doloso, roubo seguido de morte e lesão corporal seguida de morte) fizeram 2.492 vítimas de janeiro a agosto. No mês passado, foram 269. Os números são os menores para o acumulado e para o mês desde o início da série histórica, em 1999. Na comparação com o ano passado, o indicador caiu 12% em relação ao acumulado do ano e de 18% na comparação com agosto de 2019.

Leia Também:  Fundação diz que obedeceu à lei na compra de álcool gel em Niterói

Outros indicadores

As mortes por intervenção de agentes do Estado também se reduziram: de janeiro a agosto, foram 878 mortes – 50 em agosto. Na comparação com o ano passado, houve queda de 30% na comparação com o acumulado do ano e de 71% em relação a agosto.

De janeiro a agosto, houve 3.516 casos roubos de carga no estado roubos de carga no estado, sendo 416 em agosto. Na comparação com o ano passado, o indicador caiu 33% em relação ao acumulado do ano e 29% ante agosto. Os roubos de veículos também diminuíram em relação ao mesmo período do ano passado: 17.407, sendo 1.793 em agosto. Na comparação com 2019, houve queda de 38% no acumulado do ano e de 44% em relação a agosto.

Os roubos de rua (roubos a transeuntes, de aparelhos celulares e em coletivos) somaram 49.201 registros de janeiro a agosto e de 5.414 em agosto. Na comparação com o ano passado, houve queda de 42% no acumulado do ano e de 45% em relação a agosto.

Edição: Nádia Franco

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

GERAL

Polícia do Rio desarticula grupo que aplicava golpe da casa própria

Publicados

em


.

A Polícia Civil do Rio desarticulou uma quadrilha que utilizava sites de compra e venda de imóveis para aplicar golpe da casa própria. Ao longo deste mês, policiais da 38ª DP, no bairro de Brás de Pina, zona norte da capital, prenderam 22 pessoas, após denúncias de lesados e investigações do setor de inteligência.

De acordo com a Secretaria de Estado de Polícia Civil, o grupo de estelionatários criou uma associação criminosa que oferecia os imóveis se aproveitando do sonho da casa própria. Uma das vítimas do golpe chegou a perder cerca de R$ 100 mil para os criminosos.

O delegado titular da 38ª DP, Maurício Mendonça, disse que os criminosos indicavam imóveis com preços muito abaixo do mercado e convenciam os compradores a depositar em suas contas cerca de 5% do valor pedido. A vítima só percebia que não havia imóvel e nem financiamento depois de realizado o pagamento. Segundo o policial, ainda há indícios de outros golpes semelhantes praticados pela quadrilha e, por isso, as investigações continuam.

Leia Também:  Fundação diz que obedeceu à lei na compra de álcool gel em Niterói

As investigações identificaram mais de 100 estelionatos. Conforme a secretaria, após as primeiras prisões, cerca de 50 pessoas procuraram a delegacia de Brás de Pina alegando serem vítimas do golpe. Maurício Mendonça pede que outras pessoas lesadas pelo grupo procurem a delegacia.

O delegado chamou atenção das vítimas para detalhes que possam indicar a ação do grupo. Mendonça disse que o comprador deve desconfiar imediatamente quando o valor do imóvel é muito baixo. Antes de fechar o negócio, o interessado deve pedir para visitar o imóvel e verificar também se as financeiras funcionam no mesmo lugar há muito tempo.

Edição: Maria Claudia

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA