Saúde

MC morre após realizar cirurgia de hidrolipo no RJ; especialista explica riscos

Publicados

em

Internet

A funkeira Fernanda Rodrigues, conhecida como MC Atrevida morreu 11 dias após passar por uma hidrolipo, um procedimento cirúrgico, em uma clínica de estética na zona norte do Rio. Fernanda morreu devido a uma infecção generalizada causada por uma inflamação na pele.

A clínica onde a cantora fez o procedimento foi interditada. Wania Tavares, conhecida como a “Rainha das Plásticas” e dona do estabelecimento, é pré-candidata a vereadora no Rio. A profissional presta depoimento nesta sexta-feira (31).

À CNN, Alexandre Kataoka, diretor do departamento de Defesa Profissional da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica,  alertou para os riscos do procedimento realizado por Fernanda.

“Hidrolipo é uma lipoaspiração como qualquer outra. Ela tem que ser feita em um ambiente hospitalar, em uma clínica credenciada e autorizada pela Anvisa. É preciso ter muito cuidado e tem seus riscos. Esta clínica não tinha autorização e por isso, pode ter certeza, que se fosse o contrário, esta fatalidade poderia ter sido evitada”, alertou.

De acordo com o médico, os interessados em realizar este procedimento devem procurar médicos e especializados e clínicas autorizadas através do site da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. “Nesse site tem todos os sites associado e que já tem a formação mínima para realizar estes procedimentos. A partir dele você tira todas as dúvidas. Apenas com a autorização da Anvisa, o individuo deve fazer o procedimento”, explicou.

Leia Também:  Belém vive "novo normal", apesar de contaminação alta por covid-19

Fonte: cnnbrasil.com.br

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

GERAL

Bombeiros combatem fogo na Serra dos Órgãos pelo terceiro dia seguido

Publicados

em


.

O Corpo de Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro trabalha, pelo terceiro dia consecutivo, no combate a um incêndio florestal de grandes proporções que atinge o Parque Nacional da Serra dos Órgãos (Parnaso), que tem 20.024 hectares protegidos nos municípios de Teresópolis, Petrópolis, Magé e Guapimirim, na região serrana do estado.

Hoje (6), mais dez profissionais de juntaram aos 70, incluindo bombeiros militares, guarda-parques, brigadistas e agentes de órgãos externos que já atuavam ontem na operação de combate ao fogo. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o trabalho é feito em duas frentes para extinguir as chamas na área de proteção ambiental. A operação contra com o apoio de 16 viaturas e um helicóptero que tem sido usado para jogar água nos locais atingidos.

Segundo os bombeiros, as causas do incêndio continuam desconhecidas, mas ontem havia suspeita de que o fogo pode ter começado com a queda de um balão. Participam da ação no Parnaso integrantes do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), da Defesa Civil e da Guarda Civil de Petrópolis.

Leia Também:  Embrapa desenvolve sistema orgânico de produção de manga

Ontem a estimativa era de que cerca de 100 hectares tinham sido atingidos pelo incêndio. Hoje a área pode ter chegado a 200 hectares.

Parnaso

O Parque Nacional da Serra dos Órgãos é uma unidade de conservação federal de proteção integral, subordinada ao ICMBio, com a intenção de preservar amostras representativas dos ecossistemas nacionais.

Criado em 30 de novembro de 1939, o Parnaso é o terceiro parque mais antigo do país. É um local que costuma ser procurado para a prática de esportes de montanha, como escalada, caminhada, e rapel e para visitas às cachoeiras. Conforme o ICMBio, o parque tem a maior rede de trilhas do Brasil, com mais de 200 quilômetros em todos os níveis de dificuldade: desde a trilha suspensa, acessível até a cadeirantes, à pesada Travessia Petrópolis-Teresópolis, com 30 quilômetros de subidas e descidas pela parte alta das montanhas.

De acordo com o ICMBio, o parque abriga mais de 2.800 espécies de plantas catalogadas pela ciência, 462 espécies de aves, 105 de mamíferos, 103 de anfíbios e 83 de répteis, incluindo 130 animais ameaçados de extinção e muitas espécies endêmicas que só ocorrem no local.

Leia Também:  MP aciona prefeito e pede afastamento de secretário por improbidade

O ICMBio informou que o incêndio foi detectado na manhã da terça-feira (4) na parte alta do parque na trilha da travessia Petrópolis X Teresópolis na área do Chapadão, próximo da Pedra do Morro do Açu.

Edição: Nádia Franco

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA