GERAL

Parque Nacional da Tijuca estabelece novas regras para visitação

Publicados

em


O Parque Nacional da Tijuca, no Rio de Janeiro, passa a funcionar a partir deste sábado (23) com medidas mais restritivas de visitação no setor floresta, onde estão os pontos turísticos a Cascatinha Taunay, o Pico da Tijuca e a Cachoeira das Almas. A falta de respeito aos protocolos sanitários de prevenção do novo coronavírus (covid-19) levou a Unidade de Conservação Federal a adotar as mudanças, que devem permanecer pelo menos até o fim do verão. 

O aumento no número de casos da doença na cidade também pesou na decisão. Os dados do terceiro boletim epidemiológico da Prefeitura do Rio, divulgado ontem (22), indicam que todo o município do Rio de Janeiro está com risco alto para a covid-19. 

Parque Nacional da TijucaParque Nacional da Tijuca

Parque Nacional da Tijuca – Divulgação do ICMBio

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) alertou que se continuar o desacato às equipes e às regras sanitárias, as restrições poderão ser ampliadas.

O setor floresta ficou fechado de março a julho de 2020. Quando foi reaberto, passou a funcionar das 8h às 17h, mas a partir de amanhã, nos fins de semana e feriados, ficará aberto das 7h às 14h. A capacidade foi reduzida para 1.500 pessoas ao dia. 

De acordo com o (ICMBio), autarquia do Ministério do Meio Ambiente a quem o parque está subordinado, assim que o setor atingir a lotação máxima de 1.500 pessoas não será mais permitida a entrada de novos visitantes, e sem filas de espera. Esse número de visitantes representa 68% da média de visitantes nos meses de dezembro e de janeiro, somente aos finais de semana. A contagem dos visitantes começou em 2018. Nesse período, a média foi de 2.200 pessoas por dia.

Acesso

O único acesso para entrada e saída do setor floresta será pelo portão do parque na Praça Afonso Viseu, no Alto da Boa Vista. 

Os outros setores do Parque Nacional da Tijuca continuam com o horário de funcionamento das 8h às 17h.

Até agora só o Corcovado e o Parque Lage, localizados dentro do parque, tinham cota máxima de visitação. No entanto, com o comportamento inadequado dos visitantes visto nos últimos fins de semana, foi necessário limitar o número de pessoas para evitar aglomerações. 

Segundo o ICMBio, os monitores e servidores do parque foram desacatados no fim da semana passada e no feriado de São Sebastião (20), ao lembrarem as regras estabelecidas no dia 9 de julho de 2020, quando a unidade foi reaberta parcialmente e com normas de visitação.

Entre as infrações estão o uso e o descarte irregular de máscaras, aglomerações em cachoeiras, grandes grupos com mais de 10 pessoas, falta de distanciamento social nos picos das trilhas, acessos a locais interditados. 

O desrespeito às medidas sanitárias já tinham levado o Parque da Pedra Branca a restrições mais severas. A visitação é de segunda a sexta, das 8h às 17h, não sendo permitida a entrada nos fins de semana e feriados. A proibição parcial entrou em vigor no dia 24 de agosto de 2020, quando a falta de colaboração de parte do público gerou aglomerações no topo da trilha e foram registrados grupos com mais de 10 visitantes. O esquema no Pedra Branca também deve continuar, pelo menos, até o fim do verão.

“Importante destacar que a colaboração de cada pessoa é essencial para que as regiões e atrativos do parque ainda restritos voltem a ser liberados, contribuindo para a segurança de todos”, disse o ICMBio.

Na página do Parque Nacional da Tijuca na internet o visitante pode se informar sobre os locais que estão liberados, os que seguem fechados e as regras de visitação durante a pandemia. As informações estão também nas redes sociais do parque.

Edição: Fernando Fraga

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Audiência de canais de notícia cresce em março, afirma Kantar Ibope
Propaganda

GERAL

Covid-19: com Fase Vermelha, praias paulistas terão restrições

Publicados

em


Após o anúncio de que o todo o estado de São Paulo vai ficar na Fase Vermelha por pelo menos 14 dias a partir deste sábado (6), alguns prefeitos de cidades do litoral paulista estão anunciando restrições para impedir as aglomerações nas praias. Nessa fase, apenas atividades consideradas essenciais são permitidas.

Em Santos, a prefeitura informou que estará proibida a presença de ambulantes nas praias neste período. Também será proibido colocar cadeiras e guarda-sóis na areia. Só será permitido, segundo a prefeitura, a prática de esportes individuais como corrida e caminhadas.

Em São Vicente, as praias ficarão abertas apenas para atividades físicas individuais. “Portanto, a administração municipal conta com a colaboração e o bom senso de todos, pedindo que as pessoas evitem aglomerações, respeitem o distanciamento social e usem máscara”, disse a prefeitura, em nota.

No Guarujá, a permanência das pessoas no mar ou na faixa de areia está condicionada à prática de esportes individuais e devem respeitar as regras de distanciamento. Para evitar a formação de aglomerações, a prefeitura proibiu a colocação de cadeiras e guarda-sóis nas praias e também o comércio ambulante. Os restaurantes, bares, quiosques e shoppings estarão fechados para consumo no local, podendo atender somente no sistema de entrega a domicilio, retirada no local ou drive-thru. A prefeitura informou ainda que vai implantar barreiras sanitárias, com aferição de temperatura dos ocupantes dos veículos, na entrada do Guarujá, pela rodovia Cônego Domenico Rangoni. Se a temperatura for igual ou superior a 37,5º C, a entrada na cidade não será permitida. Também foi imposto um toque de restrição na cidade das 20h as 5h.

Leia Também:  Audiência de canais de notícia cresce em março, afirma Kantar Ibope

Em São Sebastião, a instalação de guarda-sóis e cadeiras nas praias, por restaurantes, hotéis e condomínios, estão proibidos.

Outras cidades, como Ubatuba, estão definindo quais são as restrições e deve publicar um decreto em breve sobre quais medidas serão adotadas.

Ontem, prefeitos da Baixada Santista estiveram reunidos e decidiram solicitar ao governo estadual para que sejam instaladas barreiras sanitárias nas estradas de acesso ao litoral: no Sistema Anchieta-Imigrantes (que liga a capital paulista ao litoral), na Rodovia Mogi-Bertioga e na Régis Bittencourt (BR-116). A ideia é tentar evitar a chegada de turistas para o litoral. Os prefeitos também pediram a ampliação do efetivo da Polícia Militar (PM) para restringir o uso e garantir a fiscalização das praias.

Edição: Bruna Saniele

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA