Saúde

Presidente da Fiocruz sobre parceria com Oxford sobre vacina: ‘Fato inédito’

Publicados

em

Internet

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o laboratório britânico AstraZeneca assinaram na sexta-feira (31) um acordo para a transferência de tecnologia e produção de 100 milhões de doses da vacina contra a Covid-19. Presidente da instituição, Nísia Trindade afirmou que a vacina segue para a fase final de testes após apresentar excelentes resultados nas etapas anteriores. O medicamento é desenvolvido pela empresa do Reino Unido em conjunto com a Universidade de Oxford.

“Vai ser muito importante garantir esse acesso à nossa população de uma vacina que já foi considerada pela Organização Mundial de Saúde como a de estágio mais avançado no mundo”, disse Nísia em entrevista à CNN neste sábado (1º).

A presidente da instituição explicou que a transferência de tecnologia para Bio-Manguinhos, laboratório da Fiocruz, garantirá a produção total da imunização no país. “Além de dar acesso à população nesse momento tão crítico, nós estaremos garantindo a autonomia do nosso país frente à vacina, não estaremos dependentes de exportação. Isso é um fato inédito”, informou Nísia.

Leia Também:  Artistas começam a receber auxílio da Lei Aldir Blanc

O Ministério da Saúde prevê um investimento de R$ 522 milhões na estrutura de Bio-Manguinhos. “Bio-Manguinhos está fazendo poucas adaptações para concluir a primeira fase, que é a produção dessas 100 milhões de doses [da vacina]. O acordo como um todo está na ordem de R$ 1,9 bilhão”, disse a presidente da Fiocruz.

Nísia disse que é esperado que a produção da vacina em território nacional se inicie no final de 2020. “Durante os meses de dezembro e janeiro receberemos insumos farmacêuticos ativos da AstraZeneca e estaremos finalizando este processo de formulação, produção e envase já na Fiocruz. A partir de julho de 2021, nós temos com muita clareza essa incorporação da tecnologia e esse marco para que possamos produzir a vacina em todo o seu processo.”

Fonte: cnnbrasil.com.br

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

GERAL

Polícia do Rio desarticula grupo que aplicava golpe da casa própria

Publicados

em


.

A Polícia Civil do Rio desarticulou uma quadrilha que utilizava sites de compra e venda de imóveis para aplicar golpe da casa própria. Ao longo deste mês, policiais da 38ª DP, no bairro de Brás de Pina, zona norte da capital, prenderam 22 pessoas, após denúncias de lesados e investigações do setor de inteligência.

De acordo com a Secretaria de Estado de Polícia Civil, o grupo de estelionatários criou uma associação criminosa que oferecia os imóveis se aproveitando do sonho da casa própria. Uma das vítimas do golpe chegou a perder cerca de R$ 100 mil para os criminosos.

O delegado titular da 38ª DP, Maurício Mendonça, disse que os criminosos indicavam imóveis com preços muito abaixo do mercado e convenciam os compradores a depositar em suas contas cerca de 5% do valor pedido. A vítima só percebia que não havia imóvel e nem financiamento depois de realizado o pagamento. Segundo o policial, ainda há indícios de outros golpes semelhantes praticados pela quadrilha e, por isso, as investigações continuam.

Leia Também:  Caminhos da Reportagem: Pandemia, mal sem fronteiras

As investigações identificaram mais de 100 estelionatos. Conforme a secretaria, após as primeiras prisões, cerca de 50 pessoas procuraram a delegacia de Brás de Pina alegando serem vítimas do golpe. Maurício Mendonça pede que outras pessoas lesadas pelo grupo procurem a delegacia.

O delegado chamou atenção das vítimas para detalhes que possam indicar a ação do grupo. Mendonça disse que o comprador deve desconfiar imediatamente quando o valor do imóvel é muito baixo. Antes de fechar o negócio, o interessado deve pedir para visitar o imóvel e verificar também se as financeiras funcionam no mesmo lugar há muito tempo.

Edição: Maria Claudia

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA