Política

Renda Cidadã deve incluir 6 milhões a mais e ter incentivo a emprego CLT

Publicados

em

Internet

O Palácio do Planalto apresenta nesta segunda-feira (28) aos líderes partidários do Congresso Nacional a proposta de criação do Renda Cidadã, novo programa social que substituirá o Bolsa Família. A CNN teve acesso a alguns pontos da apresentação.

A proposta do governo será incluir cerca de 6 milhões de pessoas não contempladas pelo Bolsa Família, que atende hoje 14,2 milhões de lares. Essa inclusão deve custar aproximadamente R$ 25 bilhões, o que elevaria o gasto com o programa para cerca de R$ 60 bilhões por ano.

O governo deve apresentar aos líderes pelo menos três opções para financiar o Renda Cidadã. Segundo apurou a CNN, nenhuma delas, porém, será oriunda de cortes em outros programas sociais nem em investimentos ou projetos nas áreas de Saúde ou Educação.

A avaliação da ala política do governo foi de que mexer em alguns desses pontos provocaria forte resistência dos parlamentares e do próprio presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que vem repetindo que não aceita “tirar do pobre para dar para o paupérrimo”.

À CNN, o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), disse ser “consenso” que as despesas com o novo programa não poderão furar a regra do teto de gastos — que impede as despesas da União de crescerem mais que a inflação —, mesmo que haja nova arrecadação.

Leia Também:  INSS autoriza bancos a renovar prova de vida por procuração

O Renda Cidadã também deve prever uma “porta de saída” para os beneficiários. Segundo apurou a coluna, o Ministério da Cidadania vai propor um “mecanismo” para incentivar o beneficiário a arranjar um emprego com carteira assinada e, assim, deixar o programa.

A proposta do Renda Cidadã foi discutida por lideranças do governo no Legislativo e ministros em uma série de reuniões ao longo do fim de semana. Na noite deste domingo (27), Barros adiantou alguns pontos a líderes partidários em um jantar em seu apartamento, em Brasília.

A ideia do governo é, após aval dos líderes, incluir os conceitos do Renda Cidadã na chamada PEC do Pacto Federativo, relatada pelo senador Márcio Bittar (MDB-AC). A PEC, porém, não deve trazer o valor do benefício, que só será definido na discussão do Orçamento de 2021.

Uma das propostas em estudo por ministros do governo é estabelecer um benefício médio inicial de pouco mais de R$ 200 no primeiro ano do programa. Esse valor poderia aumentar nos anos seguintes, caso haja espaço fiscal no Orçamento da União.

Leia Também:  Governador da Bahia decreta emergência em 73 municípios por incêndios

Fonte: cnnbrasil.com.br

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

GERAL

Buscas por nitazoxanida disparam após governo apontar eficácia contra Covid-19

Publicados

em

Comprimidos e caixas de remédio Foto: Aquivo/Agência Brasil

As busca pelo vermífugo nitazoxanida, conhecido pelo nome comercial Annita, dispararam no Google após o Ministério da Ciência e Tecnologia anunciar um estudo sobre a eficácia do medicamento contra o novo coronavírus.

Segundo o governo, o ensaio clínico do Laboratório Nacional de Biociências do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM) apontou que a substância foi capaz de reduzir a reprodução do vírus no organismo.

O médico Renato Kfouri, pediatra e infectologista, entretanto, afirma que o estudo não foi publicado e não há na literatura médica nenhuma evidência que comprove a eficácia da substância.

“Até onde eu saiba, se não for apresentado nenhum estudo ou evidência que essas drogas tenham algum benefício, nada muda. Nós temos vários estudos, muitos já encerrados com hidroxicloroquina, ivermectina ou nitazoxanida (Annita) e não há nenhuma evidência na literatura que comprove a eficácia”, disse Kfouri.

“Me estranhou o fato de um anúncio, que não tem nenhuma novidade, não tenha publicação finalizada. E nenhuma evidência do benefício”, continuou o pediatra. “O uso de medicações não comprovadas, só é valido dentro de rígidos protocolos de estudos clínicos, não se admite fazer uso experimental, para saber se ela funciona. Há muitas drogas que são decepcionantes quando saem do estudos de laboratórios, para o uso clínico, na prática não se comprova nenhum benefício”, conclui.

Leia Também:  INSS autoriza bancos a renovar prova de vida por procuração

Na última semana, as buscas por “nitazoxanida preço” tiveram aumento de 60% no buscador. Uma caixa do medicamento (com seis comprimidos) pode ser encontrada em farmácias online por entre R$ 42 e R$ 60.

Outro termo relacionada ao vermífugo que teve aumento de 4.800% nas buscas foi por “novo remédio para coronavírus”. Neste caso, as principais sugestões do Google apontam justamente para notícias que falam sobre a pesquisa brasileira sobre nitazoxanida.

Além disso, por se tratar de um nome técnico complicado, o Google registrou um aumento repentino de pessoas que procuram por “nitazoxanida nome popular”.

Vale ressaltar, no entanto, que o pico no buscador por informações sobre o vermífugo continua sendo o mês de abril, quando o ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, anunciou o início dos estudos com nitazoxanida contra a Covid-19.

Durante a apresentação na segunda-feira (19) sobre o remédio, o governo federal utilizou um gráfico pré-pronto, disponível no banco de imagens Shutterstock e que não tem base na pesquisa sobre a nitazoxanida.

Leia Também:  OMS espera produção de vacina para Covid-19 ainda em 2020; pesquisas seguem

No site Shutterstock, o vídeo com uma seta em um gráfico de fundo azul e com barras descendentes é vendido por um valor que varia entre US$ 65 e US$ 179 (o equivalente a entre R$ 364 e R$ 1.000, segundo a cotação atual do dólar), a depender da qualidade da imagem adquirida pelo cliente.

Resultados nitazoxanida - Gráfico Shutterstock

Ministério da Saúde utiliza gráfico retirado do banco de imagens em apresentação de resultado de testes de medicamentos para a Covid-19 – Foto: TV Brasil/Reprodução

Em vídeo gravado pela pasta após a apresentação, o ministro disse que o gráfico era apenas ilustrativo.

“A gente colocou um gráfico na apresentação de hoje, um gráfico obviamente só ilustrativo, sem números, só para demonstrar a queda. As pessoas perguntam: ‘Esses números são reais?’ Não, ainda não. Os dados reais, os números com todas as equações, com todos os dados estatísticos, vêm na sequência, depois que fizermos a publicação”, disse.

“Depois que tivermos a publicação dos dados científicos, para aqueles que gostam de matemática, de estatística, aquele negócio todo, a gente vai fazer uma apresentação detalhada, com todas as equações etc”, acrescentou Marcos Pontes.

Fonte: cnnbrasil.com.br

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA