GERAL

SP: Reclamações sobre conta de energia sobem 373% em junho

Publicados

em


.

O atendimento da Fundação Procon-SP registrou um aumento de 373%, de maio a junho, nas reclamações contra a empresa concessionária de energia elétrica do estado de São Paulo (Enel Distribuição São Paulo), por cobrança indevida.

Em maio, foram feitas 877 reclamações e, em junho, 4.151, sendo o pico dos atendimentos no dia 24, com mais de mil registros.

Os consumidores têm procurado os canais de atendimento do Procon-SP para reclamar de contas de energia elétrica em valores muito acima do esperado. Segundo a entidade, será realizada uma força-tarefa por especialistas para analisar todas as reclamações e avaliar as cobranças. Contas com aumento acima de 30% vão ser auditadas pela força-tarefa.

“Especialistas de proteção e defesa do consumidor irão realizar auditoria em todas as contas de energia (recalculo dos valores), a fim de verificar se a Enel cometeu algum erro ou abuso.Uma vez identificado erro ou abuso, as contas serão refaturadas. No caso do cálculo estar correto, o valor da conta será parcelado em até 12 vezes”, explicou o diretor executivo do Procon-SP, Fernando Capez.

Leia Também:  Mercadão de Madureira volta a funcionar hoje no Rio

Os consumidores que se sentirem prejudicados devem registrar uma reclamação na plataforma do @proconsp e juntar a conta questionada e de meses anteriores. A plataforma irá notificar a Enel individualmente para que esclareça os cálculos e detalhe como chegou ao valor final.

Para os casos em que ficar constatado que o valor está correto, será exigido que a Enel ofereça o pagamento parcelado em 8 vezes no boleto e em até 12 vezes no cartão de crédito. As irregularidades verificadas nas contas serão encaminhadas para a fiscalização e poderão gerar multa para a Enel.

Cobrança pela média durante a pandemia

Considerando o período de pandemia e a recomendação de isolamento social, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) autorizou que as empresas realizassem a cobrança mensal pela média dos últimos doze meses.

Como proceder para reclamar

Se a conta chegar no valor muito acima da média, o consumidor deve registrar uma reclamação nos canais de atendimento do @proconsp: no site ou aplicativo – disponível para Android e iOS.

A conta será auditada e, após análise, uma nova fatura será emitida com o valor correto e nova data de vencimento.

Leia Também:  Artistas buscam alternativas de sustento durante a pandemia

Feito o registro no @proconsp o consumidor deve aguardar o resultado da análise para só assim efetuar o pagamento da conta.

O pagamento em nova data, mesmo se estiver correto o valor, não terá cobrança de juros e poderá ser parcelado em até 8 (oito) vezes no boleto ou em 12 (doze) vezes no cartão de crédito.

Se o consumidor já efetuou o pagamento, mas não concorda com o valor deve registrar reclamação; após a análise, se ficar constado aumento indevido, o valor será abatido nas próximas faturas.

Edição: Maria Claudia

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

GERAL

Suposta imunidade de rebanho é ‘inatingível’, diz estudo espanhol

Publicados

em

Foto: Fernando Villar/EPA-EFE/Shutterstock (6.jul.2020)

O estudo espanhol do novo coronavírus em larga escala indica que apenas 5% da sua população desenvolveu anticorpos, fortalecendo a evidência de que a suposta imunidade de rebanho à Covid-19 é “inatingível”, reportou a revista médica The Lancet nesta segunda-feira (6).

A descoberta mostra que 95% dos espanhóis continuam suscetíveis ao vírus. A imunidade de rebanho é atingida quando uma parcela suficiente da população é infectada por um vírus ou bactéria —ou vacinada contra esses micro-organismos— para frear a sua circulação.

O Centro de Controle de Doenças Europeu disse à CNN que a pesquisa da Espanha, com uma amostra representativa em território nacional e mais de 61 mil participantes, parece ser o maior estudo até o momento, entre uma dúzia de outros realizados por nações europeias.

O estudo acrescenta às conclusões de um estudo de anticorpos envolvendo 2.766 participantes em Genebra, na Suíça, publicado no The Lancet em 11 de junho.

Houve pesquisas similares na China e nos Estados Unidos e “a conclusão chave dessas amostras representativas é que a maior parte da população parece não ter sido exposta” à Covid-19, “mesmo em áreas com alta circulação do vírus”, disse um comentário da revista, publicado junto das descobertas espanholas.

“À luz desses achados, qualquer abordagem proposta para atingir imunidade de rebanho por meio da infecção natural não somente é altamente antiética, mas também inatingível”, disseram os autores do comentário, Isabella Eckerle, chefe do Centro de Genebra para Doenças Virais Emergentes, e Benjamin Meyer, um virologista da Universidade de Genebra.

Leia Também:  Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio de R$ 36 milhões

Médicos estão incertos se ter anticorpos ao novo coronavírus significaria que essa pessoa não pode ser infectada novamente. Ainda não é claro por quanto tempo ou a que medida os anticorpos protegem as pessoas a esse vírus.

O estudo espanhol, já revisado pelos pares, começou em abril, enquanto a nação permanecia sob lockdown restrito, e foi conduzido pelas principais agências epidemiológicas e de pesquisa do governo.

“A seroprevalência relativamente baixa observada no contexto de uma epidemia intensa na Espanha pode servir como referência para outros países. Neste momento, imunidade de rebanho é difícil de atingir sem aceitar o dano colateral de muitas mortes entre a população suscetível e a sobrecarga de sistemas de saúde”, diz o relatório.

A autora líder do estudo, Marina Pollán, que é diretora do Centro Nacional de Epidemiologia, disse à CNN: “Alguns especialistas computaram que cerca de 60% de seroprevalência poderia significar imunidade de rebanho. Mas estamos muito longe de atingir este número”.

A Espanha foi um dos países europeus mais atingidos pelo novo coronavírus, com mais de 28 mil mortes e 250 mil casos.

Leia Também:  Defesa Civil levanta danos causados pela passagem de ciclone em SC

A The Lancet publicou os resultados da primeira fase do estudo espanhol, conduzido entre 27 de abril e 11 de maio, que indicava prevalência de anticorpos em território nacional de 5%.

Entretanto, na área metropolitana de Madri, a mais acometida pela Covid-19 em todo o país, tinha mais de 10% de prevalência. A densamente populada Barcelona tinha 7%, enquanto outras províncias litorâneas tinham índices bem mais baixos.

De maneira similar, a prevalência em Genebra era de cerca de 10,8% no estudo suíço conduzido entre abril e o começo de maio, como reportado pela The Lancet.

“Com a maioria da população ainda não infectada pelo vírus, a circulação pode voltar rapidamente a uma dimensão pandêmica em uma segunda onda uma vez que as restrições sejam suspensas”, disseram Eckerle e Meyer sobre as descobertas.

Os resultados da segunda fase do estudo espanhol foram divulgados em 4 de junho, e mostravam uma prevalência de 5,2%, apenas pouco maior do que na primeira fase. A conclusão da terceira fase foi publicada nesta segunda e mostram que o índice nacional permaneceu em 5,2%, disse Pollán.

Fonte: cnnbrasil.com.br

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA