Saúde

Governo de Mato Grosso disponibiliza 150 vagas de home care a pacientes do interior

Publicados

em

A estimativa é de que sejam atendidos aproximadamente 300 pacientes dessas cinco unidades de saúde, sendo 150 da Baixada Cuiabana, 50 da região de Cáceres, 50 de Sinop e outros 50 de Rondonópolis - Foto por: Mayke Toscano/Secom-MT
Nesta sexta-feira (16), o serviço foi colocado à disposição de pacientes dos Hospitais Regional de Cáceres, Rondonópolis e Sinop

O Governo de Mato Grosso, por meio da Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT), inicia, a partir desta sexta-feira (16.04), a admissão no serviço de home care de pacientes com quadro de saúde estável que estejam em tratamento da Covid-19 nas enfermarias dos Hospitais Regionais de Cáceres, Rondonópolis e Sinop.

Na segunda-feira (12.04), a admissão de pacientes no serviço iniciou para os hospitalizados do Hospital Estadual Santa Casa e do Hospital Metropolitano. A estimativa é de que sejam atendidos aproximadamente 300 pacientes dessas cinco unidades de saúde, sendo 150 da Baixada Cuiabana, 50 da região de Cáceres, 50 de Sinop e outros 50 de Rondonópolis.

O objetivo do Programa de Assistência Domiciliar (PAD) Covid-19 é garantir a desospitalização segura, com mais saúde e bem-estar ao paciente hospitalizado que precisa passar por um tratamento paliativo contra o coronavírus, mas não necessariamente precisa continuar internado.

A supervisão da estrutura para a viabilização do atendimento é feita pela Regulação do Estado. A indicação para o tratamento em casa é realizada pelo médico que acompanha o paciente. A proposta do home care é manter a qualidade do serviço ofertado pelas unidades hospitalares do Estado na casa da pessoa assistida.

Leia Também:  AL aprova redução de 25% nas mensalidades; escolas querem só 5% em MT

Atuarão neste serviço técnicos de enfermagem, enfermeiros, fisioterapeutas, fonoaudiólogos e um médico. Além disso, é disponibilizado o transporte para caso haja a necessidade de locomoção, e a supervisão dos profissionais da Regulação e dos hospitais de origem dos pacientes.

Fonte: Governo MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

MATO GROSSO

Polícia Civil deflagra operação e afasta servidores na área de Saúde Bucal investigados por concussão

Publicados

em

Internet
Dentistas são investigados pelos crimes de associação criminosa e concussão, quando o servidor público exige vantagem indevida para si ou para terceiros

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Combate à Corrupção (DECCOR), deflagrou nesta terça-feira (11.05) a Operação Autofagia para cumprimento de ordens judiciais de busca e apreensão e medidas cautelares de afastamento de servidores da Secretaria de Saúde do município de Cuiabá. Desde as primeiras horas da manhã, as equipes de policiais civis estão nas ruas para cumprir os cinco mandados de busca e apreensão e as decisões judiciais que determinaram o afastamento de três servidores da área de saúde bucal do município. As buscas são realizadas nas residências dos servidores investigados.

Conforme as investigações realizadas pela DECCOR, o coordenador de Saúde Bucal da Secretaria de Saúde de Cuiabá facilitava a transferência de servidores da área para unidades onde estes receberiam subsídios maiores. Em seguida, junto a outros dois dentistas, também ligados à mesma coordenadoria, passavam a pressionar e ameaçar os servidores transferidos para que estes devolvessem parte dos subsídios recebidos a título de salário.

Leia Também:  Mato Grosso está entre os 5 Estados com força para superar efeitos da pandemia em 2021, aponta consultoria

Até o momento foram identificadas cinco vítimas do trio de dentistas, mas é possível que este número seja maior, conforme as apurações avancem.

Quando as investigações foram iniciadas pela DECCOR, os profissionais foram afastados de suas funções. Contudo, o dentista que atuava como coordenador de Saúde Bucal de Cuiabá estaria auxiliando no plano de imunização contra a Covid-19, o que reforçou a necessidade de afastamento judicial do cargo e proibição de acesso à Secretaria de Saúde do município.

As investigações, que tiveram início em dezembro do ano passado, seguem para apurar se há outras vítimas, assim como analisar o material apreendido.

Os suspeitos responderão pelos crimes de associação criminosa e concussão (Artigo 316 do CP), que caracteriza a conduta de funcionário público quando exige vantagem indevida para si ou para terceiros, direta ou indiretamente, ainda que fora da função, porém, em razão de tal função.

As ordens judiciais foram decretadas pelo juízo da 7ª Vara Especializada contra o Crime Organizado.

Leia Também:  Candidata a vereadora seria morta por quadrilha formada por PMs em Cuiabá

Fonte: Governo MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA