MATO GROSSO

Terça-feira (14): Mato Grosso registra 528.529 casos e 13.661 óbitos por Covid-19

Publicados

em


A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta terça-feira (14.09), 528.529 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 13.661 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Foram notificadas 724 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 528.529 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso 4.743 estão em isolamento domiciliar e 509.278 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 175 internações em UTIs públicas e 100 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está 51,17% para UTIs adulto e em 16% para enfermarias adultos.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (108.822), Rondonópolis (37.326), Várzea Grande (36.666), Sinop (25.447), Sorriso (17.979), Tangará da Serra (17.606), Lucas do Rio Verde (15.528), Primavera do Leste (14.589), Cáceres (11.634) e Barra do Garças (10.531).

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link.

Leia Também:  PM dispersa 2,1 mil pessoas e fecha 60 festas clandestinas em MT

O documento ainda aponta que um total de 386.221 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 116 amostras em análise laboratorial.

Cenário nacional

Na segunda-feira (13.09), o Governo Federal confirmou o total de 21.006.424 casos da Covid-19 no Brasil e 587.066 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país tinha 20.999.779 casos da Covid-19 no Brasil e 586.851 óbitos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus.

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados desta terça-feira (14.09).

Recomendações

Já existem vacinas para prevenir a infecção pelo novo coronavírus, mas ainda é importante adotar algumas medidas de distanciamento e biossegurança.

Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca da Covid-19. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo vírus. Entre as medidas estão:

Leia Também:  Senador defende novas ferrovias em Mato Grosso

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

MATO GROSSO

Governador: “Muito mais que fazer história, estamos fazendo justiça ao nosso estado e a nossa gente”

Publicados

em


O governador Mauro Mendes afirmou que a vinda da 1ª Ferrovia Estadual de Mato Grosso é muito mais do que um momento histórico, pois traz “justiça ao nosso estado e a nossa gente”. 

A assinatura do contrato com a empresa Rumo Logística para a construção do modal ocorreu nesta segunda-feira (20.09), em Cuiabá. O ato também será realizado ainda hoje em Nova Mutum e Lucas do Rio Verde. 

“Com a ferrovia, vão ganhar os mato-grossenses, as indústrias, as pessoas. Vai ganhar quem mais precisa de oportunidade, pois mais de 230 mil empregos diretos e indiretos deverão ser criados. Muito mais que fazer história, estamos fazendo justiça ao nosso estado e à nossa gente”, afirmou, durante o ato no Centro de Eventos do Pantanal. 

A ferrovia vai ligar os municípios de Rondonópolis a Cuiabá e Rondonópolis a Nova Mutum e Lucas do Rio Verde, e também vai se conectar à malha nacional, que chega ao Porto de Santos. 

De acordo com o governador, esse avanço logístico é mais uma alternativa importante e sustentável para o escoamento de grãos, cuja produção em Mato Grosso pode superar as 120 milhões de toneladas anuais até 2030. 

Leia Também:  Mato Grosso: 17 municípios estão com risco moderado de contaminação pela Covid-19

“Melhorando a logística, melhora o processo de desenvolvimento e crescimento do Estado. Sem a ferrovia, iríamos entupir todas as rodovias para atender a essa crescente demanda. Isso teria um prejuízo ambiental gigantesco, teríamos que duplicar as estradas… Já a ferrovia vai ter um impacto muito positivo, porque é uma opção com baixa emissão de carbono, ambientalmente sustentável”, pontuou. 

Para Mauro Mendes, o modal terá um impacto “enorme e positivo” na vida de milhares de mato-grossenses, pois vai impulsionar a indústria, o comércio comércio a geração de empregos. 

“A ferrovia se conecta ao Porto de Santos, principal polo industrial do país, e vai trazer insumos a Mato Grosso com menor custo de transporte. Poderemos trazer aço e matérias primas para a produção, por exemplo, a um custo muito menor. Além disso, será possível levar produtos do nosso mercado interno ao principal mercado de consumo, que é a região sudeste”, relatou. 

O governador ainda adiantou que os trilhos não só vão atrair novos investimentos, como já estão atraindo. 

“Essa obra vai tornar nossas indústrias mais competitivas. Lá em Lucas do Rio Verde, um grupo empresarial anunciou um investimentos privado superior a R$  bilhão, e esse anúncio foi acelerado por conta da ferrovia, pois é uma empresa da área do etanol e o custo do transporte do etanol, com a ferrovia, será muito mais barato”, ressaltou. 

Leia Também:  Fiocruz aponta agravamento da pandemia em Mato Grosso

A ferrovia

A construção da ferrovia prevê 730 quilômetros de linha férrea que vão interligar os municípios de Rondonópolis a Cuiabá, além de Rondonópolis com Nova Mutum e Lucas do Rio Verde, e que vão se conectar à malha ferroviária nacional, em direção ao Porto de Santos (SP). O investimento estimado para implantação da ferrovia é de R$ 11,2 bilhões e a expectativa é de que o empreendimento promova a geração de 230 mil empregos diretos e indiretos.

A previsão é de que o trecho entre Rondonópolis e Cuiabá estará concluído e em funcionamento no ano de 2025; enquanto a operação no trecho Cuiabá a Lucas do Rio Verde deverá começar em 2028.

Uma vez implantada a ferrovia, a Rumo S/A fica autorizada a explorar a ferrovia pelo prazo de 45 anos, sendo que a infraestrutura ferroviária poderá ser compartilhada pela empresa vencedora com outra empresa de transporte ferroviário que venha a prestar serviços no Estado.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA