NACIONAL

Após aborto interrompido, STF determina indenização de R$ 398 mil para casal

Publicados

em


source
STF
Agência Brasil

Decisão foi confirmada nesta segunda-feira (28).

O Supremo Tribunal Federal (STF) confirmou a decisão tomada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) e determinou que um padre pague uma indenização de R$ 398 mil para um casal por ter interrompido um aborto autorizado pela Justiça.

O caso aconteceu em 2005 no estado de Goiás. Na ocasião, uma jovem de 19 anos conseguiu autorização para o aborto ao descobrir que o feto tinha uma doença que impedia desenvolvimento de órgãos como pulmão e tórax. Entretanto, o aborto não aconteceu.

Isso porque o padre Luiz Carlos Lodi da Cruz conseguiu um habeas corpus, impedindo o procedimento. No momento da interrupção, a garota já estava no hospital tomando medicamentos para realizar a operação. Ela voltou para a casa e, posteriormente, deu à luz a um menino que morreu pouco tempo depois.

Leia Também:  Governo do Amapá estende lockdown por mais cinco dias

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

NACIONAL

Médico é preso em flagrante após estuprar e agredir paciente em consulta

Publicados

em


source
Estupro
Agência Brasil

À Polícia, médico negou ter violentado a mulher.

Um médico foi preso suspeito de estuprar e agredir uma paciente durante um atendimento.  A prisão aconteceu na cidade de Uberaba, em Minas Gerais, na noite da última quarta-feira (28), horas depois da consulta na qual o crime teria ocorrido.

Depois do crime, o homem teria agendado uma nova consulta com a paciente daqui três semanas. A consulta durou cerca de uma hora e o marido da vítima esperou a companheira do lado de fora do consultório. Ela não contou a ele sobre o episódio por ter medo que ele a deixasse. A mulher contou o episódio a uma amiga que a convenceu a denunciar o caso à Polícia Militar.

Um exame feito horas após o estupro detectou lesões vaginais. O laudo será entregue à polícia nesta quinta (29). O médico foi detido em flagrante na frente da própria família. À polícia, ela disse que o homem apalpou suas seu corpo e teria encostado seu genital na mão da vítima. Neste momento, o homem puxou a calcinha da paciente para o lado e estuprou-a.

Leia Também:  Adolescente encontra pedaço de dedo humano ao comer esfirra em São Paulo

A só foi libertada após o fim do estupro. O homem ejaculou no chão da sala. Ela também contou que não reagiu porque o homem poderia alegar que ela era louca, uma vez que tinha recebido receitas de remédios para ansiedade. A vítima também temia que, através de seu cadastro na clínica, o estuprador conseguisse seu endereço.

Após ser levado pela polícia, o homem disse que atendeu a mulher por 40 minutos e que a porta permaneceu encostada durante a sessão, e não trancada. Ele também negou a versão da mulher. O médico foi encaminhado à delegacia de plantão de Uberaba. A Polícia Militar disse que buscas no sistema revelaram outras ocorrências contra o suspeito com relatos similares.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA