NACIONAL

Nível de rio sobe e deixa bairros submersos no interior do Pará

Publicados

em


source
Cerca de 1.700 famílias estão sem abrigo na cidade
Divulgação

Cerca de 1.700 famílias estão sem abrigo na cidade

A cidade de Marabá, no interior do Pará , foi atingida por fortes chuvas nos últimos dias. Parte do município ficou submersa e o abastecimento de energia elétrica foi cortado. Cerca de 1.700 famílias estão desabrigadas. Os bairros afetados pela interrupção do fornecimento de eletricidade foram Vale do Itacaiunas, Filadélfia e na Folha 33, segundo a Equatorial, concessionária que distribui eletricidade no Pará.

A interrupção do fornecimento de energia aos bairros atingidos pela enchente foi um pedido da Defesa Civil da região. Em alguns trechos da cidade, só é possível atravessar de canoa ou bote. Nas últimas 12 horas, o Rio Tocantins subiu 9 cm.

Ao todo, o rio está marcando 12 metros e 36 centímetros. Nos meses de janeiro e fevereiro, é comum que o nível do rio Tocantins e do afluente Itacaiúna aumente, mas neste mês está chegando a 13 metros acima da média, deixando casas com água até o telhado e carros submersos nas regiões mais críticas. A Defesa Civil pede para que as famílias afetadas não esperem a água baixar, mas que saiam das casas alagadas e busquem abrigo em outro lugar.


Confira onde deixar doações para as famílias afetadas pela cheia em Marabá:

  • Central Única das Favelas no Pará (Cufa): Travessa Moura Carvalho, número 102 – B, no bairro da Campina, distrito de Icoaraci – Belém. Doações de: alimentos, roupas, cobertores e fralda.
  • Sede da Secretaria de Assistência Social, Proteção e Assuntos Comunitários (SEASPAC): Travessa da Fonte, bairro Amapá, Marabá (em frente ao CAP e ao lado do Ministério Público Estadual)
  • Sede da Defesa Civil Municipal: Rua 7 de Junho, nº 1020, Marabá Pioneira. A arrecadação é das 8 às 16 horas. Os itens prioritários são alimentos não-perecíveis, itens de higiene pessoal, roupas e artigos de cama, mesa e banho.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

NACIONAL

Aos 116 anos, morre mulher mais velha do Brasil

Publicados

em


source
Mulher mais velha do Brasil, Antônia Santa Cruz
Reproducao: Facebook

Mulher mais velha do Brasil, Antônia Santa Cruz

Antônia Santa Cruz, considerada a mulher mais velha do Brasil, morreu neste domingo aos 116 anos e 217 dias. Ela também era a terceira mulher mais velha do mundo, segundo o grupo de pesquisa Gerontology Research Group (GRG).

De acordo com o portal Calila Notícias, a idosa faleceu em casa por causas naturais, após família relatar que ela reclamou de dores no corpo na noite de sábado (22).

A supercentenária estava acamada há um mês, sem nenhuma doença aparente. Ela foi velada na residência da família e o sepultada na tarde desta segunda-feira.

Na família de Dona Antônia, há mais centenários: uma das irmãs tem 107 anos, e o irmão caçula morreu há pouco mais de um ano, após completar 100 anos.

Leia Também:  Bahia: número de mortos chega a 24; mais de 629 mil foram afetados

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA