Polícia

CASO RESORT: Agressor de Helen Machado já foi alvo da polícia em 2018 por espancar a própria filha

Publicados

em

Reprodução

O homem acusado de agredir a esposa  em uma suíte em resort de luxo, no Manso, é agricultor e possui diversos processos na Justiça, entre eles trabalhistas. Nédio Germiniani, de 52 anos, é produtor rural em Sorriso (a 420 km de Cuiabá) e já foi alvo da polícia. A reportagem tentou, mas não localizou Nédio.

Nédio foi filmado por hóspedes agredindo a sua esposa dentro de um quarto em resort de luxo, na noite de sexta-feira (22).

Em 2018, a Polícia Civil cumpriu mandados de busca e apreensão na sua casa, escritório e fazenda. Ele estava sendo investigado por espancar a própria filha de 19 anos e ainda agredir o porteiro do condomínio, que tentou intervir na briga.

Na época, segundo a polícia, Nédio possuía uma arma de fogo e um facão, quando ameaçou de morte o porteiro do condomínio que morava. No quarto da casa do produtor, foram encontrados vários objetos revirados e vidros quebrados.

A polícia ainda informou que ele tinha um histórico de denúncias por furto de energia na fazenda. Nédio está envolvido em outros processos, como em bancos, transportadoras, hotel, Sefaz, Ibama, loja de eletrodoméstico, além de processos no Tribunal Regional do Trabalho (TRT).

Leia Também:  Investigação sobre roubo levam policiais à localização de foragido da Justiça pelo crime de estupro

Só de uma pessoa foram encontrados 14 processos trabalhistas. Ao todo são 31 processos que ele responde na Justiça de Mato Grosso.

Na agressão contra a esposa, Nédio chegou a ser preso na manhã desse sábado (23) e encaminhado à delegacia para prestar esclarecimentos. Segundo informações da polícia, ele ainda está detido.

A vítima, Helen Machado de 21 anos, disse que viu a morte correndo atrás dela e que sentiu muito medo.

“Só quero que pague o sofrimento que passei e sinta todo medo e pavor que passei. O medo da morte correndo atrás de mim, mas Deus me faz forte, graças a Deus estou bem”, disse.

Fonte: Unicanews

 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLICIAL

Polícia Civil prende irmão e sobrinho de vítima apontados como autores de homicídio em Colíder

Publicados

em


Assessoria/Polícia Civil-MT

O homicídio ocorrido na madrugada de segunda-feira (01.03) no município de Colíder (650 km ao norte de Cuiabá) foi esclarecido pela Polícia Civil, nesta quinta-feira (04.03), com a prisão do irmão e sobrinho da vítima, apontados como autores do crime.

Os suspeitos identificados desde o dia do crime, já estavam com os mandados de prisão temporária decretados quando se apresentaram na delegacia para prestar esclarecimentos.

O crime que vitimou, Roberto Barbosa da Silva, de 45, ocorreu em na residência da vítima, no bairro Nossa Senhora da Guia, em Colíder. Na ocasião, a vítima foi atingida por vários golpes de faca na região do tórax, não resistindo aos ferimentos e morrendo no local.

Logo após o fato, as equipes da Polícia Civil e Polícia Militar foram acionadas dando início as diligências para apurar a autoria do crime.

Segundo as investigações, os irmãos (suspeito e vítima) passaram o dia ingerindo bebida alcoólica, quando por volta das 19 horas tiveram um desentendimento, ocasião em que entraram em vias de fato e em seguida juraram de morte um ao outro.

Leia Também:  Hospital Geral paralisa atividades e prefeitura responde com enrolação

O suspeito foi embora para casa e pouco depois retornou a casa do irmão, desta vez na companhia do seu filho (segundo envolvido), momento em que teriam matado a vítima com golpes de faca.

Com base nas investigações, a delegada de Colíder Paula Gomes Araújo representou pelos mandados de prisão temporária contra os dois suspeitos, na terça-feira (02.03). As ordens judiciais foram decretados pela Justiça nesta quinta-feira (04.03) e devidamente cumprida no momento em que os dois envolvidos se apresentaram na delegacia na presença do advogado.

“O trabalho rápido da Polícia e do Poder Judiciário foi fundamental, uma vez que os suspeitos se apresentaram na delegacia, na presença do advogado, acreditando que ainda não havia mandado de prisão expedido contra eles.”, disse a delegada.

Durante o interrogatório, eles optaram por permanecer em silêncio. As diligências continuam para conclusão do inquérito.

Fonte: PJC MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA