POLICIAL

Dois autores de um homicídio com ocultação de cadáver são presos pela Polícia Civil

Publicados

em


.

Assessoria/Polícia Civil-MT

Policiais civis da Delegacia Especializada de Homicídio e Proteção a Pessoa (DHPP) de Cuiabá, realizaram na manhã desta terça-feira (09.06) a prisão de dois homens, em ação para cumprimento de mandados de prisão e de busca e apreensão. 

Os suspeitos, de 28 e 18 anos, tiveram as ordens judiciais de prisões temporárias decretadas pela 12ª Vara Criminal da Comarca de Cuiabá, pelo crime de homicídio qualificado e ocultação de cadáver.

A vítima, Severino Messias Santos de 56 anos, foi morta por perfuração de arma branca (faca), sendo o seu corpo localizado sem roupa no dia 24 de maio, enterrado em uma cova feita no quintal da própria casa no bairro Três Barras. 

Logo que acionados os policiais civis da DHPP iniciaram as diligências para elucidar o crime. Durante apuração um dos suspeitos (de 28 anos) chegou a ser ouvido pela Polícia Civil vindo a assumir a autoria do homicídio.

Em interrogatório, o rapaz chegou a confessar o crime, relatando ter cometido na companhia de outros homens, os quais entraram na residência para roubar. 

Leia Também:  Polícia Civil recupera caminhão roubado em Pontes e Lacerda

Conforme o delegado da DHPP que coordenou as investigações, Caio Albuquerque, a vítima foi assassinada por motivo fútil e com emprego de recurso que impossibilitou sua defesa.

“No momento em que foi morta a vítima encontrava-se nua em seu quarto, sem antever o que lhe ocorreria, quando foi surpreendida por inúmeras facadas”, disse o delegado.

Diante das evidências de autoria, a Polícia Civil representou pelos pedidos de prisões temporárias contra os dois acusados e pedido de busca e apreensão domiciliar, deferidos pela Justiça.

Com os mandados de prisão e de busca expedidos os policiais civis conseguiram localizam e prender os envolvidos em suas residências no bairro Três Barras. Na casa de um dos presos (de 18 anos) também foi apreendido um aparelho celular roubado de uma mulher no bairro CPA 4.

Após cumprimento da ordem de prisão, os suspeitos foram conduzidos à DHPP para providências cabíveis e posteriormente colocados à disposição do Poder Judiciário.

Fonte: PJC MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLICIAL

Estelionatária que causou prejuízo de R$ 20 mil a vítimas em venda de carro é presa em Cuiabá

Publicados

em


Raquel Teixeira/Polícia Civil-MT 

 

A Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Cuiabá (Derf) prendeu em flagrante nesta segunda-feira (10) uma mulher de 34 anos por estelionato praticado contra duas vítimas da cidade de Água Boa, que gerou um prejuízo de R$ 20 mil. A prisão contou com apoio da Delegacia Especializada de Crimes Informáticos (DRCI).

A vítima procurou a Delegacia de Água Boa nesta segunda-feira e informou que viu a propaganda de um veículo modelo Gol em um classificado na cidade, pelo valor R$ 25 mil, e entrou em contato com o número informado no anúncio. A pessoa que a atendeu informou ser parente do vendedor do veículo e que lhe devia R$ 20 mil, e acertaram a venda do Gol. Diante das informações confirmadas pelo vendedor, a vítima então transferiu o valor. Logo após realizar a transferência, a mulher foi alertada pelo seu esposo de que se tratava de um golpe.

O casal procurou imediatamente a agência bancária solicitando estorno do dinheiro, mas não foi mais possível, uma vez que o valor foi transferido via sistema Pix.

Leia Também:  Homem é preso em flagrante na porta de delegacia após ameaçar vítima para retirar queixa contra irmão dele

Os policiais de Água Boa identificaram a titularidade da conta bancária que recebeu o valor, que é de uma pessoa em Cuiabá.

Com base nas informações passadas pela vítima, a equipe da DERF da Capital conseguiu identificar e localizar a suspeita, que trabalha em um hospital particular de Cuiabá. Ao ser abordada pelos investigadores, a mulher negou ter recebido a transferência. Contudo, os policiais checaram que após receber o dinheiro, ela realizou duas transações bancárias para comparsas do crime, uma no valor de R$ 15 mil e outra de R$ 5 mil, a fim de ocultar o dinheiro obtido ilicitamente.

A suspeita forneceu cópias das transferências realizadas e com os dados, os investigadores conseguiram identificar os comparsas.

O delegado Guilherme de Carvalho Bertoli autuou a suspeita por estelionato consumado e representou pela conversão do flagrante em prisão preventiva.

As diligências da Derf prosseguem para localizar os demais comparsas envolvidos no golpe.

Fonte: PJC MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA