Política

Abílio é condenado por propagar fake news contra esposa de vereador

Publicados

em

Reprodução

A juíza do 8º Juizado Especial Cível de Cuiabá, Patrícia Ceni, condenou o ex-vereador Abílio Brunini (Pode) por propagar fake news contra a esposa do vereador Paulo Henrique (PV).

A decisão da Justiça acatou ação movida por Luany Vieira Masson, esposa de Paulo Henrique, que publicou fotos do aniversário do esposo em seu perfil do Facebook que posteriormente foram tiradas de contexto por Abílio.

O caso ocorreu após o ex-vereador compartilhar as fotos publicadas pela vítima acusando Luany e as demais pessoas que apareciam na imagem de estarem descumprindo decreto municipal que restringia aglomerações em virtude da covid.

Segundo Luany, o ex-vereador compartilhou a imagem com finalidades política, uma vez que o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) – que derrotou Abílio no último pleito – estava presente no evento.

“Não é preciso muito esforço para perceber que a postagem realizada pelo demandado, da forma como fora feita, repercutiria entre seus pretensos eleitores”, avaliou a magistrada.

Porém, ao contrário da postagem feita por Abílio, a foto fora tirada antes da validade do decreto, o que não implicaria em desrespeito à norma. Contudo, mesmo após saber da incoerência sobre a data da imagem, o ex-vereador não se justificou sobre o fato.

Leia Também:  'É muito mais barato abrir leitos do que fechar economia', diz governador do MT

Ao avaliar o caso, a juíza apontou sobre os riscos de ser promover fake news, destacando o “cancelamento” e o “linchamento virtual”.

“[…] pois, basta um clique de uma mensagem enviada, sendo ela verdadeira ou não, para que uma pessoa seja ‘cancelada’ nas redes sociais, sofrendo o usuário um verdadeiro linchamento virtual ‘revestido de boas intenções’, sofrendo represálias desmedidas e ainda ofensas graves”, destacou a magistrada.

Ao julgar o caso, a juíza determinou que Abílio se retratasse publicamente sobre a propagação da fake news e também o condenou ao pagamento por danos morais de R$ 6 mil à vítima.

Na quarta-feira (14), Abílio postou a retratação em seu perfil no Facebook dizendo que se “equivocou” e reconhecendo que o ato repercutiu de “forma negativa” para a vítima. Confira a seguir o texto compartilhado pelo ex-vereador.

“Eu, ABILIO JACQUES BRUNINI MOUMER, venho através desta, apresentar publicamente, Termo de retratação, com relação ao resposta do facebook da Sra LUANY VIEIRA MASSON, onde de forma equivocada informei que ela estava promovendo festa em época de pandemia, sendo que a festa menciona fora feita muito antes do decreto de lockdown em 2020, em 15/03/2020.

Fonte: Gazeta Digital

Leia Também:  Botelho destaca importância de união entre governo e prefeitura para o combate à pandemia

 

Sendo que a minha atitude trouxe respost das publicações de forma negativa a imagem da Sra LUANY e sua família, reconhecendo que não são verdadeiras que esta e sua família estavam promovendo festa em período de quarentena. Pedindo desculpas pelo transtorno causado e pela publicação do facebook da Sra Luany onde afirmei que esta e sua familia estavam em desrespeito ao decreto municipal e estadual, servindo a presente nota de retratação pública para reestabelecer a verdade e idoneidade moral da Sra LUANY e de toda a sua familia, conforme sentença processo: 1017211-51.2020.8.11.0001, em tramite no 8o JUIZADO ESPECIAL CÍVEL DE CUIABÁ”.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA MT

Emanuel diz que Mendes ‘não gosta de pobre’ e cobra apoio da AL

Publicados

em

Internet

O prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) afirmou que o governador Mauro Mendes (DEM) “não gosta de pobre” ao criticar o formato de gestão adotado pela democrata. Na noite desta segunda-feira (10), o chefe do Executivo voltou a sinalizar articulações políticas para 2022 e defendeu uma nova opção de governo para Mato Grosso.

“Esse é o modelo, tá bom? É unânime, ninguém acha que tá bom. Então, vamos fazer alguma coisa? Vocês querem fazer alguma coisa ou não querem? Acha que tem que ficar, isso que tá aí? Isolado, arrogante, é frio, calculista, administrando para poucos, não gosta de pobre, despreza os mais humildes. Ele não olha pelos mais pequenos”, iniciou.

A fala ocorreu após a entrega viaduto Murilo Domingos, na avenida Beira Rio em Cuiabá. Durante o discurso, Emanuel pediu o apoio de aliados e do próprio comandante do Palácio Paiaguás que não compareceu à inauguração da obra.

A cobrança teve uma entonação especial e direcionada ao presidente da Assembleia Legislativa, deputado Max Russi (PSB), que estava sentado na primeira fileira, ao lado do ao ex-governador Júlio Campos (DEM), do prefeito de Várzea Grande, Kalil Baracat (DEM), e outros parlamentares da Casa de Leis.

Leia Também:  Definida da chapa de reeleição de Botelho à presidência da AL; Wilson é novidade

Fonte: Gazeta Digital

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA