POLÍTICA MT

Secretário Adjunto de Administração Penitenciária se reúne hoje com a Comissão de Segurança

Publicados

em

 

.

Foto: FABLICIO RODRIGUES / ALMT

A reunião remota promovida pela Comissão de Segurança Pública e Comunitária da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), nesta terça-feira (15), às 10h, que aconteceria com o secretário da Casa Civil, Mauro Carvalho, será realizada com a presença do secretário-adjunto de Administração Penitenciária do Estado de Mato Grosso, Emanuel Flores.

Devido a situação de emergência com as queimadas de Mato Grosso, Mauro Carvalho teve que priorizar essa demanda junto ao governo estadual. O alinhamento da nova agenda, foi firmada após a reunião do presidente da Comissão de Segurança e deputado estadual, Delegado Claudinei (PSL), na noite de segunda-feira (14), na Secretaria de Estado da Casa Civil de Mato Grosso.

“Teve este imprevisto, mas já havia me reunido em três momentos, nos últimos 10 dias, com o(secretário) Mauro Carvalho, para tratar sobre as nomeações dos aprovados em concursos públicos da segurança pública, como, também, sobre as emendas parlamentares relacionadas à categoria. Já conseguimos fazer um alinhamento. A presença do Emanuel Flores só tende a somar ao nosso propósito que é tratar sobre segurança pública”, explica o parlamentar.

Leia Também:  Segurança pública tem recorde de recursos destinados por emendas parlamentares em 2019

Reunião – O propósito do encontro será debater as ações desenvolvidas e os principais problemas existentes no sistema penitenciário para que os integrantes da Comissão possam analisar e contribuir para as devidas melhorias nas unidades prisionais.

Dentre os assuntos a serem discutidos, estão a quantidade de unidades prisionais existentes em Mato Grosso, capacidade e número de reeducandos em cada unidade. Também será apresentado o número de servidores lotados nas instituições e procedimentos aplicados pelas instituições com servidores e reeducandos neste período de enfrentamento da Covid-19.

Em relação às normas estabelecidas pela Casa de Leis devido à Covid-19, o local da reunião ocorrerá na sala de reuniões “Deputada Sarita Baracat” – por meio de videoconferência. A transmissão ocorrerá pela TV Assembleia via satélite, pelos canais 30.1 e 30.2 (aberto HD Digital), 330.2 (Sky HD), 10 (Net TV) e 16 (a cabo).

Além do deputado Claudinei, também integram a Comissão de Segurança Pública, o vice-presidente Sílvio Fávero (PSL), os membros titulares Thiago Silva (MDB), Elizeu Nascimento (DC) e Ulysses Moraes (PSL).

Leia Também:  Projeto que prevê multa para quem não usar máscara em MT teve pedido de vista

Serviço:

Reunião Comissão de Segurança Pública e Comunitária

Data: 15.09.2020 (terça-feira).

Horário: 10 horas

Local: Sala de reuniões “Deputada Sarita Baracat” – por meio de videoconferência.

Fonte: ALMT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA MT

TVAL produz documentário sobre a maior queimada da história do Pantanal

Publicados

em

 

.

Equipe da TVAL levará ao mundo a história do maior incêndio do Pantanal

Foto: Anderson Sartori / TVAL

A maior planície alagada do planeta está em chamas e as consequências disso ainda são desconhecidas, mas serão registradas. A TV Assembleia (TVAL) está produzindo um documentário para contar, sob diferentes narrativas e muitas imagens, os impactos dos incêndios que até agora consumiram 20% de toda a biodiversidade do Pantanal. O material será gravado em três etapas para reproduzir parte da tragédia registrada este ano.

O repórter Anderson Sartori sugeriu a realização do documentário após uma provocação da jornalista Lina Carvalho, que conhecendo a paixão do colega por documentários e pela natureza, sugeriu a realização de um projeto especial. Pronto, foi semeada a semente e Anderson levou a proposta para o superintendente da TVAL, Jaime Neto.

A equipe fez sua primeira inserção há duas semanas, quando uma diligência da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), da Câmara dos Deputados e do Senado Federal visitou o Pantanal para ver de perto as queimadas e ouvir os relatos da população local. Anderson Sartori, o cinegrafista Maximino Cruz, o operador de drone Roberto Kilila e o motorista Ronaldo Marques de Almeida percorreram a Transpantaneira de Poconé (a 102 km da Capital) até Porto Jofre, na divisa dos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

Leia Também:  Projeto regulamenta o uso de veículos aéreos não tripulados pelos órgãos de segurança

Com apoio de um drone, a imagens aéreas mostram a devastação do fogo até mesmo sobre as áreas úmidas. “Fiz muitas matérias no Pantanal e nunca vi assim. Você não vê água, não sei se um dia o Pantanal voltará a ser como antes”, descreve Maximino Cruz, que há 35 anos trabalha como cinegrafista.

Desafios – O jornalista Anderson Sartori diz que o objetivo do documentário é disponibilizar ao mundo as imagens e a história deste que já é considerado o maior incêndio do Pantanal. “É premissa da TV pública produzir conteúdos que possam desdobrar alguns assuntos com mais tempo e o documentário é um dos caminhos para levar informações mais aprofundadas para a comunidade”, afirma Anderson Sartori.

Além dos aspectos naturais e o dia a dia de quem está lidando com o combate ao fogo, o documentário também vai apresentar os impactos sociais e econômicos da queimada no Pantanal a partir da perspectiva de quem vive lá e também de pesquisadores e políticos. “Vimos pousadas destruídas, o ecoturismo será afetado diretamente”, exemplifica Anderson.

Leia Também:  Segurança pública tem recorde de recursos destinados por emendas parlamentares em 2019

Para isso, a intenção é registrar a queimada, o que já foi realizado, o início das chuvas e depois, quando o Pantanal estiver cheio, gravar como será a reconstrução deste ciclo, visto que naturalmente o bioma é composto do revezamento entre a seca e a cheia de sua planície. Como o material está sendo produzido em Full HD, que garante qualidade de ponta às imagens, a equipe também precisará de uma estrutura especial para editar o documentário e apoio para realizar mais duas viagens.

A intenção é finalizar o documentário ainda no primeiro semestre de 2021. “Estamos trabalhando nos intervalos das pautas diárias e entre uma ida e a outro ao Pantanal para fazer entrevistas, pesquisar e adiantar a seleção de imagens”, explica Sartori.

Fonte: ALMT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA