POLÍTICA NACIONAL

Frente Agropecuária debate a Lei do Agro nesta quinta-feira

Publicados

em

 

.
Divulgação/Governo de Mato Grosso do Sul
Agropecuária - plantações - agronegócio milho produção agrícola exportações campo tecnologia agricultura grãos
Parlamentares estão debatendo com especialistas várias questões relacionadas à Lei do Agro

A Frente Parlamentar da Agropecuária promove nesta quinta-feira (2) novo debate sobre a Lei do Agro, focado na questão das Cédulas de Crédito Rural e Equalização de Juros. O debate, que será realizado de forma virtual, dá sequência a uma série de lives promovida pela Frente sobre o tema.

Já foram debatidos a emissão e transações eletrônicas de títulos do Agro; as alterações na Cédula de Produto Rural (CPR); e os títulos do agronegócio.

Em fevereiro, a Câmara dos Deputados aprovou uma medida provisória (MP 897/19) , que deu origem à Lei do Agro, que permite ao proprietário rural oferecer parte de seu imóvel como garantia nos empréstimos rurais, vinculando a área a um título.

Esse mecanismo é conhecido como regime de afetação, com registro do fato no cartório de registro de imóveis. Poderão fazer parte do regime o terreno e as benfeitorias existentes nele, exceto as lavouras, os bens móveis e o gado.

Leia Também:  Rodrigo Maia diz país deve dar mais atenção ao meio ambiente

A norma também estabelece algumas proibições. Por exemplo, não poderão sofrer a afetação o imóvel já hipotecado, a pequena propriedade rural de até 4 módulos fiscais, área do imóvel inferior a 1 módulo fiscal e o único bem de família.

O imóvel também não poderá ser oferecido como garantia em outras transações; e a Justiça não poderá retê-lo para o pagamento de outras obrigações, além de não poder fazer parte da massa falida no caso de falência.

O debate será transmitido pelo canal do Youtube da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), a partir das 14h30.

Da Redação – RL

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

Projeto autoriza “showmícios” de artistas pela internet nas campanhas eleitorais de 2020

Publicados

em

 

.
Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Sessão do Congresso Nacional destinada à deliberação dos destaques aos vetos. Dep. Alexandre Frota (PSDB-SP)
O autor da proposta, deputado Alexandre Frota

O Projeto de Lei 3623/20 autoriza a contratação de artistas, para apresentações em plataformas digitais da internet, nas campanhas eleitorais de candidatos nos pleitos municipais de 2020, excepcionalmente.

Pelo texto em análise na Câmara dos Deputados, os gastos individuais de cada candidato ficarão limitados a R$ 20 mil, podendo o artista ser contratado por mais de um candidato.

Os chamados “showmícios” de artistas em campanhas eleitorais foram proibidos pela “minirreforma eleitoral” de 2006 (Lei 11.300/06). Posteriormente, a proibição foi questionada por alguns partidos e mantida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

“É obrigação desta Casa Legislativa levar cultura à população, e como estão proibidas as aglomerações e, portanto, os comícios, os candidatos devem poder nos limites previstos contratar artistas para suas campanhas excepcionalmente, pois estamos vivendo um momento jamais vivido por esta geração”, justifica o autor da proposta, deputado Alexandre Frota (PSDB-SP).

Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei.

Leia Também:  Secretário pede demissão da Saúde por discordar de documento sobre cloroquina

Reportagem – Lara Haje
Edição – Natalia Doederlein

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA