TRIBUNAL DE JUSTIÇA MT

Justiça Comunitária enfrenta o fogo no Pantanal para atender ribeirinhos

Publicados

em

 

.
O juiz-coordenador estadual da Justiça Comunitária, José Antônio Bezerra Filho, acompanhado de assessores e voluntários, realizou mais uma ação de atendimento a ribeirinhos de comunidades do município de Poconé (105 Km da Capital), no Pantanal mato-grossense. Nessa viagem, de quinta-feira a sábado, mesmo com os incêndios na região, 70 famílias, de várias localidades, entre as quais Moquem, Porto Cercado e Barra do Limoeiro, receberam a visita da comitiva que levou por água 1.400 quilos de alimentos não perecíveis e de roupas e kits de higiene bucal.
 
“Fomos recebidos com alegria e muita emoção, justamente porque esses ribeirinhos não esperavam essa ajuda agora, justamente quando enfrentam, além da seca, o perigo do fogo que queima um dos principais ecossistemas naturais do Brasil e do mundo. A situação é muito crítica, triste e desoladora”, assinalou o magistrado. Ele conta que essas populações estão isoladas e passando dificuldades de sobrevivência. Assim, na opinião do juiz-coordenador, “é preciso que a sociedade e as autoridades façam uma reflexão sobre a destruição da flora, fauna e sobre a vida de homens, mulheres e crianças que habitam essa região”.
 
Na visão dele, mais uma vez o Poder Judiciário fez a diferença e levou doações e também esperança para os moradores ribeirinhos. O magistrado disse que tudo só foi possível porque a Justiça Comunitária tem parceiros sensíveis com situações e causas humanitárias. “Chegar a essas comunidades, mesmo navegando, foi difícil. O fogo pulava de uma margem para outra e a visibilidade estava baixa por conta da fumaça, mas cumprimos nossa missão que foi de ir ao encontro de quem está precisando. E a única coisa que garanto é que a Justiça Comunitária não para e vai continuar atendendo esses cidadãos e cidadãs através da inclusão social, serviços e esclarecimentos, especialmente neste tempo de pandemia”, finalizou.
 
Álvaro Marinho
Coordenadoria de Comunicação do TJMT
 
 

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Tribunal de Justiça adere ao Agosto Lilás e ilumina a fachada do prédio
Propaganda

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MT

Sorriso fará doação de bens móveis para órgãos e entidades sem fins lucrativos

Publicados

em


.
Os bens móveis considerados inservíveis para os propósitos do Poder Judiciário na comarca de Sorriso (420 km de Cuiabá) estão disponíveis para doação. Os materiais do acervo patrimonial do fórum apesar de serem considerados antieconômicos para o Judiciário, podem ter utilidade para outras instituições. O juiz e diretor da Comarca de Sorriso, Érico de Almeida Duarte publicou edital estabelecendo os critérios para doação.
 
Podem participar do procedimento de doação desses bens, indicados em anexos do Edital 03/2020, qualquer órgão municipal, estadual, federal, entidade pública ou privada, sem fins lucrativos, reconhecida de utilidade pública pelo Estado de Mato Grosso e organização da sociedade civil de interesse público.
 
Os órgãos e entidades interessadas devem encaminhar pedido formal indicando a relação de bens aos quais requer doação, bem como a documentação exigida, endereçada à Diretoria do Foro, pelo e-mail: [email protected], ou podem ainda protocolar essa documentação pessoalmente no atendimento ‘drive thru’ da Comarca, com expressa indicação do material pretendido. E a habilitação das entidades e órgãos será através de análise das documentações exigidas no edital, considerada a condição da solicitante.
 
E, conforme estabelece o edital, as donatárias classificadas serão convocadas para a retirada dos bens disponíveis, por sistema eletrônico ou qualquer outro meio de comunicação, indicado pela solicitante onde constarão todas as informações quanto ao prazo, data e horário da retirada dos bens. E as despesas decorrentes da retirada e transporte dos bens serão por conta da dos órgãos e entidades classificadas.
 
Acesse AQUI e confira na íntegra o Edital 03/2020.
 
Álvaro Marinho
Coordenadoria de Comunicação do TJMT
 
 
 

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Cuiabá e Várzea Grande somam mais de 1200 registros para cargas de processos físicos
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA