TRIBUNAL DE JUSTIÇA MT

Poder Judiciário doa CPUs e monitores para o Hospital Regional de Alta Floresta

Publicados

em


.
Dez CPUs e dez monitores foram doados ou cedidos pelo Poder Judiciário de Mato Grosso, por meio do Fórum da Comarca de Alta Floresta, para o Hospital Regional de Alta Floresta. Os termos de cessão e doação foram assinados esta semana pela juíza diretora do Foro de Alta Floresta, Milena Ramos de Lima e Souza Paro, e pela diretora da unidade de saúde, Sônia Vanice Gonçalves Marques.
 
Considerados inservíveis para o Poder Judiciário de Mato Grosso, os equipamentos estão em plenas condições de uso e funcionamento e foram doados ou cedidos, por tempo determinado, com o objetivo de melhorar a qualidade do serviço prestado pela unidade de saúde. O valor dos equipamentos que constam dos termos de doação e cessão totaliza R$ 9 mil.
 
A diretora do hospital disse que essa doação chegou em boa hora, em razão do momento delicado que a sociedade está vivendo e que atinge principalmente o setor da saúde. “Esses equipamentos serão distribuídos entre todos os setores do hospital, garantindo mais agilidade no desenvolvimento dos trabalhos”, disse Sônia Marques, acrescentando a importância das parcerias em momentos de crise.
 
Por meio do Termo de Doação nº 001/2020 foram doados ao Hospital Regional de Alta Floresta dez CPUs, cada um avaliado em R$ 700,00, e cinco monitores, avaliados individualmente em R$ 150,00, totalizando o valor de R$ 7.750,00. Já por meio do Termo de Cessão nº 001/2020 foram doados para uso do Hospital Regional de Alta Floresta, pelo período de dois anos, cinco monitores, cada um avaliado em R$ 250,00, totalizando R$ 1.250,00.
 
De acordo o termo de cessão, esse período determinado de dois anos poderá ser prorrogado. A cessão também poderá ser convertida em doação, após análise da Comissão de Bens Inservíveis (Compibi) do Poder Judiciário de Mato Grosso.
 
Nadja Vasques
Coordenadoria de Comunicação do TJMT
 

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Mais facilidade: TJMT soluciona dúvidas sobre cadastro de empresas no PJe
Propaganda

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MT

Judiciário apoia consolidação e fortalecimento de políticas públicas da primeira infância

Publicados

em

 

.
Os desafios na implementação de políticas públicas voltadas para a criança desde o seu nascimento até os seis anos de idade foi tema de debate do webinar realizado pelo Poder Judiciário de Mato Grosso nesta sexta-feira (3 de julho). O Programa Criança Feliz, também foi abordado e na oportunidade ganhou apoio da justiça estadual no fortalecimento e consolidação como política pública na proteção integral à primeira infância.
 
O presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha fez a abertura do evento virtual e ressaltou a preocupação do judiciário em integrar as crianças à sociedade e proteger as famílias.
 
“Entendo que o mais importante é conclamar a todos da rede de proteção a consolidar o Programa Criança Feliz, que é uma política pública voltada para o desenvolvimento integral da primeira infância, onde nós sabemos a importância desse desenvolvimento exatamente nesses momentos da vida da criança. É um programa que se preocupa com a gestão saudável, agrega políticas setoriais e ainda o fortalecimento do convívio familiar, que vai resultar na formação de uma sociedade cidadã que nós tanto desejamos.”
 
Mediador do webinar, juiz auxiliar da Presidência do TJMT e da Coordenadoria da Infância e Juventude, Túlio Duailibi, disse que o evento traz a oportunidade de debater com a sociedade e em especial com os atores da rede de proteção e do sistema de garantias de direitos um tema de grande importância na atualidade e de relevante interesse público, que é o Marco Legal da Primeira Infância e o Programa Feliz, inserido nesse contexto.
 
“A Lei Federal n. 13.257/2016, conhecida como Marco Legal da Primeira Infância consagra no nosso ordenamento jurídico a obrigação de se estabelecer políticas públicas que concretizem e efetivem a proteção e promoção integral da criança na faixa etária estabelecida, a fim de que olhemos as necessidades como um todo e não segmentadas.”
 
De acordo com o juiz, a execução dessas políticas públicas, somente terá êxito, se a intersetorialidade estiver presente através de atuação articulada e colaborativa entre os integrantes da rede de proteção e dos atores do sistemas de garantias. “Por esta razão é que a intersetorialidade ganha relevo especial do Marco Legal da primeira infância sendo, sem qualquer dúvida, seu pilar de sustentação”, afirma.
 
“Cabe a nós, membros integrantes da rede de proteção trabalharmos em prol do fortalecimento e consolidação do Programa Criança Feliz, a fim de que se amplie seu alcance social. “Para isso, propomos através deste webinar um trabalho de sensibilização com toda rede, para que voltemos nossa atenção aos municípios que aderiram o programa, aqueles também que preenchem seus requisitos mas não fizeram adesão e também aos que não preenchem os requisitos.”
 
O evento abordou questões técnico-jurídicas sobre o Marco Legal na Primeira Infância e também exemplos da prática, que é o Programa Feliz, que tem dado certo em algumas cidades de Mato Grosso.
 
Nos debates participaram os juízes da infância e juventude de Várzea Grande, Carlos José Rondon Luz; da 2ª Vara Cível de Tangará da Serra, Leilamar Rodrigues; e também da Coordenadora de programas e projetos socioassistenciais do Sistema Único de Assistência Social da Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc-MT), Luciana Alves Rodrigues e da picóloga e coordenadora do projeto Criança Feliz em Lucas do Rio Verde, Maura Luiza da Silva.
 
O seminário virtual contou com intérpretes de Libras, que garantiram a acessibilidade do público.
 
Assistiram e interagiram pelos canais oficiais do TJMT, juízes, membros do Ministério Público, advogados, assistentes sociais e psicólogos credenciados das comarcas do Estado e de vários municípios, integrantes do Programa Criança Feliz de diversas cidades, servidores da Setasc, CRAS, Creas, profissionais da rede de proteção, integrantes de Conselhos tutelares, do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Criança e Adolescente (CedCa-MT), entre outros.
 
O Wbinar pode ser assistido, na íntegra, no canal do Youtube do TJMT
 
Dani Cunha
Coordenadoria de Comunicação do TJMT
 

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Mais nove comarcas se preparam para implantação do PJe Criminal
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA