TRIBUNAL DE JUSTIÇA MT

Tribunal de Justiça homenageia juíza falecida com nome do Fórum de Chapada

Publicados

em


O Edifício Sede do Fórum de Chapada dos Guimarães passa a ser denominado “Doutora Margarete da Graça Blanch Miguel Spadoni” por deliberação do Órgão Especial do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, aprovada, no mês de setembro.
 
A homenagem à juíza aposentada, que faleceu no final de agosto, é uma forma do Judiciário mato-grossense reconhecer a dedicação e empenho dispensados pela magistrada à prestação jurisdicional nas mais variadas atividades de diversas comarcas do Estado, entre as quais Chapada dos Guimarães, Barra do Bugres e Cuiabá.
 
Para o marido da magistrada, o médico cirurgião-geral Joaquim Martins Spadoni, a família recebe essa homenagem com muita alegria. “É uma honra e um presente com significado impar na minha vida, dos meus filhos e dos meus netos, e de forma especial de toda nossa família. A Margarete é merecedora desse reconhecimento”, sublinhou Joaquim Spadoni.
 
Ele se lembrou de detalhes quando a mulher foi designada para assumir e instalar a Comarca de Chapada dos Guimarães. “Nem a falta de energia elétrica era empecilho para o cumprimento das demandas judiciais. Ela se desdobrava para atender a comarca com maestria, e até júri foi realizado iluminado por lampião a querosene. Margarete, realmente, foi um exemplo e, como primeira juíza da comarca, teve o apoio dos mais diversos setores do município e do Tribunal de Justiça por meio dos desembargadores e servidores”, frisou Joaquim Spadoni.
 
O médico aproveitou para agradecer em nome da família à presidente do Tribunal, desembargadora Maria Helena Gargaglione Póvoas, e as desembargadoras e desembargadores que compõem o Órgão Especial.
 
A juíza aposentada Margarete Spadoni, como era conhecida, faleceu aos 73 anos vítima de leucemia. Natural de Curitiba (PR) deixou o marido, seis netos e três filhos, sendo dois médicos e o advogado e conselheiro federal da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso (OAB-MT), Joaquim Felipe Spadoni.
 
Álvaro Marinho
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT
 
 

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Comissão do Concurso da Magistratura avalia candidatos nesta segunda-feira
Propaganda

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MT

Magistratura e Sociedade entrevista professor Edson Rondon

Publicados

em


Já está no ar a nova edição do programa Magistratura e Sociedade que, desta vez, traz o professor pós-doutor Edson Benedito Rondon Filho como entrevistado. O convidado, dentre tantos assuntos, falou sobre o papel do fato em razão das fake news, explicando que os fatos sempre prevalecem.
 
“Os fatos que podem ser comprovados e justificados têm um papel fundamental para as instâncias decididoras, sejam elas no Poder Executivo, Legislativo ou Judiciário. O Judiciário tem trabalhado para fazer um restabelecimento. Nós temos marcos normativos e regulatórios da internet como a Lei Geral de Proteção aos Dados que visam justamente trazer equilíbrio a essas relações que ocorrem no cyber espaço.”
 
Rondon Filho explicou também que as informações não verdadeiras são um fenômeno mundial utilizadas “como estratégia para consolidar questões de ideologias no plano político, religião, preconceito potencializado, agressões desmedidas e até sem justificativa à minorias por questões de gênero ou sexual.” Ele acrescentou ainda que elas precisam ser combatidas e que ele tem visto isso no cenário judicial.
 
O convidado possui pós-doutorado junto ao Departamento de Letras Modernas do Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas da Universidade Estadual Júlio Mesquita Filho (Ibilce/Unesp). É doutor em sociologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, na linha de estudo Violência, Criminalização, Cidadania e Direito com estágio doutoral junto ao ‘Centre de Recherche Sociologique Sur Le Droit et les Institutions Pénales na França.
 
O Magistratura e Sociedade é publicado mensalmente no canal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso no YouTube. Ele é apresentado pelo juiz e professor de filosofia da Escola Superior da Magistratura de Mato Grosso (Esmagis-MT), Gonçalo Antunes de Barros Filho.
 
 
 
 
Keila Maressa
Coordenadoria de Comunicação da TJMT
 

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Ouvidoria da Mulher: Precisa alterar manifestação? Saiba como proceder
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA