Pandemia

Novo Decreto proíbe venda de bebidas  alcoólicas geladas e reforça fiscalização

Publicados

em

 

.

 

26/06/2020    15

Visando endurecer ainda mais as regras da paralisação das atividades não essenciais previstas em decisão do juiz da Vara da Saúde Pública de Mato Grosso, José Luiz Leite Lindote, a prefeita de Várzea Grande, Lucimar Sacre de Campos, editou novo decreto 43/2020, e nomeou o Coronel da Polícia Militar e superintendente da Vigilância Sanitária, Alessandro Ferreira da Silva, como novo secretário de Governo.

“Vamos reforçar ainda mais a nossa fiscalização e fazer cumprir as regras do isolamento social e as medidas de segurança sanitária como uso de máscaras, distância de 1,5 metros entre as pessoas e higienização rigorosa”, disse a prefeita sinalizando que o novo decreto torna mais clara as regras de funcionamento dos serviços essenciais com parâmetros no Decreto Presidencial 10.282 de 20 de Março e no Decreto do Governo do Estado 522 de 12 de junho último.

Além de cumprir a ordem judicial de fechamento do comércio não essencial, o Decreto 43, reafirma aqueles setores do comércio considerados essenciais e que não tem horário de funcionamento pré-estabelecido, como as indústrias de produção e torna taxativo que nenhum setor de gêneros alimentícios pode vender bebidas alcoólicas geladas.

Leia Também:  Procon de Várzea Grande registra 592 reclamações, 90% são relacionadas a contratos e abusividade de preços

“Não existe lei seca em Várzea Grande, apenas a restrição para o consumo no lugar aonde é comercializada, por isso, não iremos permitir que aconteça vendas das mesmas geladas. Se o cliente quiser adquirir bebidas alcoólicas em supermercados, mercados, padarias, distribuidoras, conveniências, terá que fazê-lo quente para ser consumida em sua residência”, disse o futuro secretário de Governo, Alessandro Ferreira da Silva que acumulará a função com a Vigilância Sanitária e o reforço ainda maior na fiscalização.

As alterações promovidas pelo novo decreto, segundo o presidente do Comitê de Enfrentamento ao Novo Coronavírus (COVID 19), secretário Silvio Fidélis, a dinâmica colocada em prática pela prefeita Lucimar Sacre de Campos e recomendada ao Comitê de Enfrentamento é no sentido de atender aos anseios da população, do setor comercial e industrial e também das determinações judiciais da sentença do magistrado José Luiz Leite Lindote.

“Temos que construir um ponto de equilíbrio que contemple a todos os setores, primeiro a saúde das pessoas, segundo a cidade e o setor produtivo para continuarmos crescendo, gerando emprego e renda”, disse Silvio Fidélis.

Leia Também:  Várzea Grande paga salário nesta segunda e contesta ilações de repasses federais

O secretário de Saúde de Várzea Grande, Diógenes Marcondes, voltou a frisar que as pessoas precisam compreender que tem uma grande oportunidade de ajudar à Prefeitura de Várzea Grande e a Justiça a combater a pandemia da Covid- 19, que é ficar em isolamento social, trabalhando em casa para os que podem e utilizando os meios de segurança como distancia de 1,5 metros entre as pessoas, uso continuo de máscaras e luvas quando necessária além da rigorosa higienização.

Por: Da Redação – Secom/VG

 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

VÁRZEA GRANDE MT

Várzea Grande entrega 10 novos leitos de UTI não Covid-19 no Hospital e Pronto Socorro

Publicados

em

 

.

 

02/07/2020    7

Visando atender à crescente demanda para fazer frente ao momento de pandemia da Covid- 19, a Prefeitura de Várzea Grande, entregou, 10 novos leitos de UTI, que já estão atendendo aos pacientes no Hospital e Pronto Socorro Municipal.

“Estamos nos esforçando e muito para enfrentar essa pandemia, mas necessitamos que as pessoas também façam sua parte e nos ajudem ficando em isolamento, trabalhando em Home Office para aqueles que podem e para os que não podem, que saiam para trabalhar , porém, adotando todos os cuidados necessários como distância de 1,5 metros entre as pessoas, uso continuo de máscaras e luvas quando necessário, além de meios de higienização rigorosos”, disse a prefeita Lucimar Sacre de Campos.

Lucimar Campos e o secretário de Saúde de Várzea Grande, Diógenes Marcondes, sinalizaram que outras medidas estão em curso para ofertar leitos para aqueles que necessitam, mas todas elas respeitando os princípios constitucionais da Administração Pública da Legalidade, Impessoalidade, Moralidade, Publicidade e Eficiência.

A prefeita e o secretário lembraram que tem quase R$ 20 milhões em recursos para saúde sendo licitados para compras de equipamentos, medicamentos e insumos para atender as demandas das unidades médicas, inclusive EPIs – Equipamentos de Proteção Individual – , tudo dentro da lei e da ordem e com a determinação de se praticar preços reais e não abusivos.

“Tudo aqui é feito dentro da lei e da ordem, com transparência e para atender a maioria da população. Assim que trabalhamos. Muitos tem nos apontado o dedo, mas pouco ou quase nada se sabe que eles fizeram para ajudar no enfretamento de algo que é desconhecido para o mundo. Fácil acusar, mas participar da solução poucos querem. Alguns só reconhecem seus direitos, mas nunca suas obrigações”, disse Lucimar Sacre de Campos.

Leia Também:  Obras de revitalização do canteiro central da Filinto Muller seguem na fase final

Diógenes Marcondes sinalizou que os 10 novos Leitos se somarão a outros 20 que já funcionam no Hospital e  Pronto Socorro Municipal de Várzea Grande e serão definitivos, e estão completos e prontos para atender os casos não Covid- 19.

“Lembro que no Plano de Contingência assinado com o Governo do Estado e com a Prefeitura de Cuiabá e que envolve todos os demais municípios de Mato Grosso, Várzea Grande ficou com sua estrutura voltada para os casos não Covid- 19. Fazemos o atendimento destes casos, sua triagem e sua transferência para as unidades referência, mas o fato de estarmos abrindo novas vagas desafoga os atendimentos em todas as unidades de saúde, pois não existem somente casos de coronavírus e sim de todas as demais enfermidades”, acrescentou Diógenes Marcondes.

Lucimar Sacre de Campos lembrou que todo o custo emergencial destes novos leitos neste início está sendo realizado pela arrecadação própria do município de Várzea Grande. “O governador Mauro Mendes e o secretário de Estado de Saúde Gilberto Figueiredo têm sido parceiros de Várzea Grande, lembrando que eles têm também ajudado as demais 140 cidades de Mato Grosso. Nestas novas UTIs as camas são do Governo do Estado e os equipamentos, medicamentos e insumos de Várzea Grande, além dos profissionais da área de saúde, mas o Governo do Estado ainda vai custear  parte do ônus financeiro das diárias junto com o município até que, os mesmos, sejam credenciados pelo Ministério da Saúde”, disse a prefeita.

Lucimar diz no entanto, que existe muita inverdade colocada sobre os valores liberados pelo Governo Federal. “A verdade dos fatos é que recebemos até o momento R$ 4,7 milhões de auxílio do governo federal para atender a saúde pública. Ouço falar de repasses da ordem R$ 96 milhões que não condizem com a realidade dos fatos. Existem recursos a serem ainda repassados, que precisam ser confirmados para ajudar no equilíbrio das finanças que estão afetadas pela desaceleração da economia e recursos para atender a saúde e o social, mais isto, ainda nem chegou”, disse Lucimar Sacre de Campos lembrando que se Governo Federal está reforçando o caixa de Estados e Municípios, por outro lado deixa de cumprir o repasse do FEX de 2018 e 2019 que representam R$ 1 bilhão para Mato Grosso e seus 141 municípios, “então nem tudo que se ouve falar é verdade”, disse a prefeita de Várzea Grande.

Leia Também:  Saúde intensifica vacinação contra gripe que vai até o dia 30 de junho

Diógenes Marcondes sinalizou que Várzea Grande investe 30% de suas receitas próprias em Saúde Pública, desde que a prefeita Lucimar Sacre de Campos, assumiu o mandato em 2015 e isto tem feito a diferença neste momento de pandemia, seja no Hospital e Pronto Socorro Municipal de Várzea Grande, nas UPAs do Ipase  ou Dr. Farid Seror no Grande Cristo Rei, nas cinco Clinicas de Atenção Básica (antigas policlínicas) e nas três novas Unidades Básicas de Saúde.

“O que foi feito em um passado recente, hoje tem sido importante para enfrentar uma pandemia que deixou o mundo refém da doença e de suas consequências, mas com certeza vamos vencê-la desde que todos façam cada um sua parte, mas em um único sentido que deve ser decidido pelo Ministério da Saúde e não apenas apontem o dedo e não contribuam”, disse o secretário de Saúde, Diógenes Marcondes.

 

Por: Da Redação – Secom/VG

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA